Vida Cristã

“Por essa razão quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas. […] E quando orardes, não sejais como os hipócritas, pois apreciam orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas para serem admirados pelos outros […] Quando Jejuardes, não vós mostreis com aspecto sombrio como os hipócritas; pois desfiguram o rosto com a intenção de mostrar às pessoas que estão jejuando”.  (Mateus 6.2, 5,15 – KJA*)

O Texto do Sermão da Montanha, na verdade não é um discurso que Jesus desferiu, mas um conjunto de diversos discursos e conteúdo que o Apostolo Mateus se valeu, para de forma didática ensinar os principais valores da vida Cristã com quatro temas básicos: Nova Justiça/Cultura no capítulo, no capitulo 6. 1-18 – Modelo “religioso” da Vida Cristã; 6:19-34- Modelo de trabalho/sociedade Cristã e por último qualidades de um discípulo em Cristo no capitulo 7. Que era usado pelos discípulos como ensino didático inicial para o novo convertido.

No caso do Capitulo 6.1-18, parcialmente descrito acima podemos observar primeiro que Cristo esta dialogando com um grupo e com uma cultura religiosa, pois toda vez que se refere ao hipócrita, ou seja, aquele que representa e atua uma vida religiosa, Ele está falando dos Fariseus. Estes que eram um grupo partidário/religioso, que surgiu por volta 160-150 a.C., em conjunto com um ideal nacionalista, que defendiam basicamente viver a lei de Deus (pentateuco, profetas e Salmos) à risca, quais os principais pontos eram abordados pelas escolas de escribas.  Se voltava por um conceito novo de representação de Deus, que não está somente baseado na genealogia, que consagrava os sacerdotes como voz de Deus, mas do ter conhecimento e uma vida piedosa.

Assim tendo uma vida piedosa, conseguiam representação religiosa, consequentemente política, por isso seu caráter religioso se volta muita para a aparência. Onde a vida religiosa se baseava numa tríade de ajudar os necessitados, orar e jejuar.

Cristo está dialogando com este grupo, e não está negando essa tríade da vida religiosa, porém vem apresentar de uma forma completa e plena, qual os fariseus perderam. Assim este modelo religioso ainda ecoa nos dias atuais, se queremos partilhar dos ideais Cristãos, devemos praticar.

No entanto para praticar de forma correta Cristo nos ensina:

1. Ajudar os necessitados não para aparecer, não por querer algo em troca e nem para fazer média com Deus, mas por amar as pessoas e querer seu melhor, assim implantando o Reino.

2. Orar, não deve ser voltado em aparecer diante das pessoas, e nem achando que muito tempo e o muito falar soluciona, como muito está em voga hoje. Contudo deve-se orar a realidade de seu coração, como de Cristo, que tinha como principal a ânsia de cumprir a vontade do Pai, manter seu ministério, perdoar a todos e não cair em tentação.

3. Jejuar não para aparecer a outros, nem por um mecanismo ritualista, mas a abstenção de alimentos, deve ter uma causa e propósito, que se volta em diminuir a sua vontade para fazer a vontade de Cristo, seja num processo de santidade, de temor, de ter mais a presença de Deus e de intercessão por alguém.

Portanto a vida Cristã deve correr nesta tríade, para a implantação do Reino de forma completa.

 Texto: Lucas Vicente.

*KJA – King James Atualizada.