TUDO SOBRE JESUS

Romanos 11.33-36 (NVI): “33 Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos! 34 “Quem conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro?” 35 “Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense?” 36 Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém.” [1]

 

Paulo está escrevendo para a igreja de Roma, e durante boa parte dessa carta, trata do assunto dos gentios e judeus, da fé e da Lei, do pecado e da graça, da morte e da vida.

E aqui no capítulo 11, está indagando se Deus abandonou seu povo: os judeus. Esses receberam espírito de entorpecimento para que não creiam e persigam o Evangelho, mas mesmo assim Deus salvou uma pequena parte deles. Mas justamente por causa disso, o Evangelho chegou até nós os gentios: os não judeus.

Faz uma comparação de uma videira que foi enxertada artificialmente, e que nós somos esse enxerto. E que a bondade de Deus é revelada a nós gentios, que não somos parte da videira original, e assim fomos enxertados no Reino dos céus, nas promessas, nas bênçãos sem fim em Cristo, como na salvação.

No entanto, isso também revela a severidade de Deus, que rejeitou a videira original. Da mesma forma, se não permanecermos na fé, sem orgulho, mas com temor poderemos ser cortados.

Os judeus foram cortados por causa da incredulidade, pois queriam ser salvos pela prática da Lei. Dessa maneira, todos, judeus e gentios, estão debaixo da desobediência para que Deus possa salvar a todos por sua eterna misericórdia revelada por sua graça na cruz de Cristo, e que pode ser alcançada unicamente pela fé em Jesus.

E assim, Paulo conclui esse capítulo com um hino de louvor e ações de graças a Deus. Esse hino glorifica a Deus, e enaltece seus pensamentos e caminhos, revelando que o Seu eterno amor é revelado na cruz de Cristo, e apenas os que Nele confiam serão salvos.

A base dessa confiança é a revelação que apenas o Santo Espírito de Deus pode nos dar de que tudo é para Jesus. Quando perdemos a essência dessa revelação: desanimamos, desistimos, cansamos, paramos, entristecidos, decepcionados.

Tudo é Dele, tudo é por Ele, e tudo é para Ele. Todas as coisas vêm de Deus e nós vivemos Nele (1Coríntios 8.6), tudo foi criado através Dele e sem Ele nada do que existe se fez (João 1.3, Colossenses 1.16), e assim Ele age em todos (Efésios 4.6), porque todas as coisas foram criadas para Ele (Colossenses 1.16) sendo a causa de todas as coisas existirem (Hebreus 2.10).

Esse é o combustível da fé que tem que permanecer firme para poder nos salvar. A certeza e a convicção, que porque agora somos Dele (Romanos 10.9-10; 1Coríntios 6.20) vivemos exclusivamente para Ele. O amor por Jesus, e tudo para que Seu nome seja glorificado para glória de Deus Pai, nos fará dar muitos frutos  (João 16.14; 15.8). Mas não podemos perder o foco desse amor, que nada é à respeito de nós, mas tudo à respeito Dele.

Ficaremos em paz, suportaremos as dificuldades, confiaremos plenamente ao saber que Seus planos e Seus pensamentos sobre nós são impensáveis e inimagináveis. Que não podemos alterar ou sugestionar nada para mudar no Seu divino plano. E que nada podemos dar para acrescentar para receber mais. Porque Ele é o Autor e Consumador da nossa fé (Hebreus 12.2), a fidelidade da nossa nova aliança perpétua (Hebreus 9.15), que nos conduz a viver para sua glória eternamente. Amém!

Oração: Pai em nome de Jesus, que o meu combustível da fé seja sempre manter o foco em Jesus, sabendo que tudo é sobre Ele, pois Dele, para Ele, e por Ele são todas as coisas. Amém!

Texto: Thiago Vicente

[1] Nova Versão Internacional. (2001). (Rm 11.33–36). São Paulo: Sociedade Bíblica Internacional.