Senhor do Tempo

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. (Mt 6.33 – ARA*).

O tempo é o que temos de mais valioso atualmente. Nós sabemos qual é a prioridade da vida de uma pessoa pelo tempo que ela gasta com o que ela mais interessa. A moeda do tempo é igual para todos: 24 horas por dia. Escolhemos o que mais nos agrada, o que vem primeiro. Se uma pessoa trabalha 12 a 16 horas por dia, todos os dias da semana, tem dois empregos, mais os “bicos”, tudo para ganhar mais dinheiro, ela já mostrou qual é o seu Senhor: o dinheiro (Lc 16.13). Não se pode ter dois senhores. Qual é o seu Senhor?

Se Jesus Cristo é SENHOR e Rei do meu tempo qual a minha prioridade? A prioridade é Reino de Deus e a sua justiça (que é a vontade de Deus)! Não são a coisas, comida, água, roupas, ou qualquer tipo de bens, porque no Pai nosso dizemos: “Dai-nos o pão nosso de cada dia”, o que precisarmos para sobrevivermos, pode ter a certeza, que fazendo a vontade, a justiça de Deus e buscando o SENHOR em primeiro teremos:

 “Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” (Mt. 6.34 – ARA*).

 Como faremos para que o Reino de Deus seja nossa prioridade? Jesus nos ensina nesta passagem:

 “Indo eles caminho fora, alguém lhe disse: Seguir-te-ei para onde quer que fores. Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus. Outro lhe disse: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa. Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus.” (Lc. 9.57 – 62 – ARA**).

O primeiro devemos abandonar uma procura sentimental, artificial, em que o discípulo se ilude que seu caminho será “um mar de rosas” apenas de milagres, por isso Jesus alertou segui-lo e uma vida sem garantias humanas e bem estar, pois o discípulo procura o Senhor por amor e pela eternidade no Reino e não na Terra.

O Segundo exemplo demonstra que devemos abandonar as desculpas, comodismo e preocupação, pois no caso, seu pai não estava morto, já que se estivesse não estaria no meio do caminho fazendo nada, mas se ocupado com a semana fúnebre e de luto. E a preocupação era motivada, por garantir sua parte na herança e se manter cômodo na casa do pai ou dependente do mesmo.

Por último, a resposta do discípulo tem uma perspectiva errado da vida cristã, pois antes de tudo pensa em sua casa, no seu conforto, na sua vontade. Então, Jesus demonstra que para ele ser Senhor, o discípulo tem que deixar as outras coisas em segundo plano, por isso temos que olhar primeiro para arado e não para trás. Não quer dizer abandono, mas prioridade deve ser as coisas do Reino. Isso não significa morar na igreja ou fazer um milhão de coisas, mas em todo espaço da vida, seja no trabalho, na casa, com amigos, devemos espelhar o Reino em nossas atitudes e palavras.

Portanto para Jesus ser o Senhor realmente do nosso tempo, precisamos busca-lo por amor, e não por coisas; deixando nossas desculpas e preocupações, assim olharmos da maneira correta que é para eternidade e o Reino, e depois para sua própria vida.

 Texto: Lucas Vicente/Thiago Vicente

* Tradução: Almeida Revista e Atualizada.