Preparando o coração para o Natal – Parte 2

Lucas 1.26–38 (ARA): “26No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,27a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria.28E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo.29Ela, porém, ao ouvir esta palavra, perturbou-se muito e pôs-se a pensar no que significaria esta saudação.30Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus.31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus.32Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai;33ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim.34Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum?35Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus.36E Isabel, tua parenta, igualmente concebeu um filho na sua velhice, sendo este já o sexto mês para aquela que diziam ser estéril.37Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas.38Então, disse Maria: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra. E o anjo se ausentou dela.”[1]

 

Nessa segunda mensagem sobre a preparação do coração para o Natal, temos o exemplo de Maria, mãe de Jesus.

 

E assim como João Batista precedeu o anúncio do nascimento, do próprio nascimento e ministério de Cristo, porque deveria preparar o caminho para o SENHOR, Maria também teve um papel fundamental, senão o mais importante de todos.

 

Tudo porque quando a humanidade pecou, em Adão e Eva, e perdeu a autoridade da Terra, para a Serpente, o Diabo, e Deus prometeu um Salvador, o Messias, o Cristo, através da mesma mulher que pecou primeiro, para derrotar Satanás e recuperar a autoridade perdida.

 

Dessa forma, o Salvador teria que nascer de uma mulher. E como Maria iria se casar com José que é descendente de Davi, porque o Cristo teria que ser descendente dele (2 Samuel 7.16).

 

Então, no tempo de Deus, a graça de Deus veio sobre Maria para que fosse escolhida como a mãe do SENHOR (Lucas 1.43). E dessa maneira, Cristo estaria nela até seu nascimento (Lucas 1.30-33). No entanto, era um acontecimento impossível porque ela era virgem. Mas para Deus não há nada impossível em todas as suas promessas (Lucas 1.34; 36-37)

 

Portanto, Deus prometeu, e o Espírito Santo trouxe poder e capacidade para realizar o impossível sobre a vida dela (Lucas 1.35). E por fim, ela creu e guardou a palavra anunciada e revelada de Deus sobre a sua vida, em seu coração para que se cumprisse plenamente (Lucas 1.38; 2.19,51).

 

O papel de Maria de gerar Jesus, de dar nascimento a ele, de cuidar dele, alimentando e educando, até que crescesse junto com José, foi a promessa de Deus cumprida em sua vida, para que fosse bendita entre as mulheres, por causa do Filho de Deus que gerou e criou (Lucas 1.42).

 

Da mesma forma, temos que depois de preparar o coração com o arrependimento, guardar a palavra de Deus anunciada especificamente sobre as nossas vidas para manifestar Jesus em nós, para o Reino de Deus e para salvar o mundo, e assim cumprir todos o plano e propósito de Deus em nossa vida.

 

Oração: Pai, em nome de Jesus, que eu possa manifestar a Sua graça em minha vida pela fé em Jesus, para que eu traga o Seu reino fazendo a Sua vontade e cumprindo todas as suas promessas em minha vida, ao guarda-las meu coração. Amém!

Texto: Thiago Vicente*

 

*Thiago Vicente (Instagram: @thigvi) é o idealizador e fundador do MENSAGEM DIÁRIA, pastor, reverendo, teólogo, professor de educação física, personal trainer, especialista em fisiologia do exercício, mestre com aprovação com louvor na área de Bíblia, plantador de igrejas, casado há 12 anos e tem duas filhas.

[1] Sociedade Bíblica do Brasil. (2003). Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong (Lc 1.26–38). Sociedade Bíblica do Brasil.