Perfume Da Adoração

“Estando ele em Betânia, reclinado à mesa em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher que trazia um vaso de alabastro cheio de bálsamo de nardo puro, de grande preço; e, quebrando o vaso, derramou-lhe sobre a cabeça o bálsamo. Em verdade vos digo que, em todo o mundo, onde quer que for pregado o evangelho, também o que ela fez será contado para memória sua”.  (Marcos 14.3 e 9)

Jesus no evangelho de João nos ensina que a adoração significa buscar a Deus em espirito e em verdade.  Esta passagem destacada retrata Maria, irmã de Marta e Lázaro. Esta havia entrado na casa e ungido a Jesus, com bálsamo, que era um perfume muito valioso.

Cristo alenta seus discípulos, dizendo que este ato deveria ser para sempre lembrando entre os cristãos.

Por que Cristo nos chama a atentarmos a este ato?

Porque o ato desta mulher é uma ação de uma adoração, em espírito e em verdade.

Já que inicialmente ao ungir Jesus, não está entregando algo de valor, mas está atenta a voz do espírito, pois este perfume representa ungir Jesus para sacrifício na cruz, assim reconhecendo como salvador, o servo sofredor destacado em Isaías 53, que deveria morrer por nós.

Mas também ao mesmo tempo sua adoração de entregar aquele valioso bálsamo, compreende que  Cristo aquele que a supre, como destaca o salmos 118:

“Ó Senhor, salva, nós te pedimos; ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade. Bendito aquele que vem em nome do Senhor; da casa do Senhor vos bendizemos” (Samos 118.25-26) 

Pois o perfume e bálsamo, representava uma quantia de um ano de trabalho, que Maria havia  guardado toda sua juventude, para quando casasse se ungisse como tradição judaica informa. Quando o noivo a noite com seus companheiros busca e procura a noiva ungida e suas companheiras com suas candeias acessas, ao encontrá-la, inicia a ceia de celebração do casamento.

Ou seja, ao entregar este perfume para Jesus, que seria sua possibilidade humana para o casamento, já que o casamento na cultura judaica, é a maneira que a mulher tem para se sustentar, ter uma casa e manter sua descendência.

Sendo assim contemplou uma adoração verdadeira, não impressa em falsas palavras que passam com o vento, mais em ações que permanecem até os nossos dias.

Portanto adorar é ao mesmo tempo ouvir a voz do espirito e estar disposto a se entregar. Já que adoração não são apenas palavras, cânticos e louvores, e sim ações que configuram sua vida, assim como Maria.

Ore: “Senhor me ajude a ser sempre um adorador. Me ensine a ouvir seu Espirito, não minha alma e minha vontade. Para que assim eu entregue uma adoração verdadeira”.

Texto: Lucas Vicente