O Ganhador de Almas – Dwight Lyman Moody – Heróis da Fé

“Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo”. Romanos 10.9. NVI.

 

Dwight Lyman Moody, nasceu em Northfield, Massachusetts, Estados Unidos da América, em 5 de fevereiro de 1837, em uma família muito pobre e numerosa, ele era o sexto de 9 irmãos. Aos 4 anos de idade seu pai faleceu, ele tinha 41 anos, e deixou sua esposa gravida, de gêmeos, e com dívidas. Os credores, confiscaram tudo o que eles possuíam, até a lenha, reservada para aquecê-los no inverno. Mas sua mãe cuidou de sua prole, de nove filhos, sem dispor de nenhum deles para adoção, e no caminho de Deus. Todo domingo os levava a Igreja, para participar da Escola Dominical e do Culto, e passarem o dia em comunhão. Marcado em sua Bíblia, constava o versículo que lhe gerava fé: Jeremias 49. 11 Deixe os seus órfãos; eu protegerei a vida deles. As suas viúvas também podem confiar em mim”.

 

Posteriormente, Moody, já com 17 anos de idade, decidi ir para Boston a procura de um emprego, para que pudesse auxiliar a sua mãe e família. Começou a trabalhar na sapataria de seu tio, com uma condição, que procurasse um Igreja para congregar, nos domingos, a mesma recomendação que dera sua mãe, em sua partida.Certamente cumpriu o acordado com seu tio e sua mãe. Participava dos cultos e das aulas da Escola dominical, mas ainda não havia tido um encontro verdadeiro com Deus. E foi um professor, Edward Kimball, da Escola Dominical onde frequentava, que foi a sua procura, em seu emprego, o encontrou nos fundos da sapataria, embrulhando calçados, e aproximando-se de Moody, apresentou o amor de Jesus por ele, e uma grande obra de amor de retorno a Cristo. Nesse momento entregou sua vida a Jesus Cristo.

 

Como resultado de sua conversão, sentiu o amor de Deus o chamando para ajudar em sua Igreja, onde dispunha de seus recursos financeiros, como de costume em sua época, de reservar assentos para os seus convidados, que sempre preenchiam alguns bancos. E continuou sua jornada, pelo amor de seu Salvador, a procura dos perdidos. E não parou mais! Portanto, Moody, não só preenchia os bancos das Igrejas, mas passou a levar as pessoas a frequentarem as salas de aulas das escolas, tanto nas instalações das Igrejas, como por salas alugadas e pagas as suas despesas, por ele, como também, por vários professores voluntários que aderiram aos ensinos, em várias partes da cidade de Chicago, tudo oferecido pelos ganhos de seu trabalho diário no comércio de sapatos, até então ele mesmo não ensinava. O seu êxito com o as escolas dominicais, foi tão grande, que no período de 1 ano, a frequência média era de 650 pessoas. Ao ponto de ser a maior de Chicago e tão conhecida, que em 1860, o Presidente Lincoln, a visitou e participou de uma reunião como orador.

 

L. Moody, em 1862, se casou com Emma C. Revel, tiveram 3 filhos. Mas nada é fácil nessa vida, em 1871, no pavoroso incêndio que destruiu Chicago, todos tiveram que recomeçar, literalmente das cinzas. Foi quando em uma viagem a Nova York, em busca de recursos para os flagelados e para reconstrução de Chicago, que teve a sua maior experiência com Deus, por meio do Espírito Santo, e voltou a pregar com poder, não só seu, mas do próprio Santo Espírito, que convencia as pessoas a se converterem a Cristo.

 

Em suma, Moody foi para as Ilhas Britânicas, em 2 anos, 1874 e 1875, que esteve por lá, passou por quase todas as cidades da Inglaterra, Escócia e Irlanda, levando multidões em suas pregações, e convertendo milhares de almas para Cristo, sendo chamado do maior evangelista do século XIX. Suas reuniões eram em todos os locais de grande ajuntamento possíveis, chegando em uma delas, no Botanic Gardens Palace, em Londres, atingir o número de 30 mil pessoas. De volta aos Estados Unidos, as suas reuniões evangelísticas, era tão igual ou maior que a Inglaterra.

 

Em conclusão, seu legado, as campanhas evangelísticas; Instituto Bíblico de Chicago (hoje Instituto Bíblico Mood), que prepara pregadores, missionários e líderes, para trabalho em todo o mundo; não participava dos lucros e todos os proventos das vendas do Hinário, de sua autoria e de Sankey (seu ministro de louvor), destinando essas verbas ao sustento das escolas de Northfield; sua pregação, descritas pelos ouvintes, como direta, sincera, franca, sem enfeites, não-gramatical, sempre simples, mas enormemente sincera e convincente; calcula-se que ganhou 500 mil almas para Cristo. Faleceu dia 22 de dezembro de 1899, ao lado de sua esposa.

 

Oração: Eu creio em Jesus Cristo, que Ele morreu e ressuscitou em carne, e está assentado a direita de Deus Pai Todo Poderoso; peço perdão pelos meus pecados; escreve meu nome no livro da Vida Eterna. Amém.

 

Texto e vídeo de Greg Vicente

 

*baseado na obra Heróis da Fé, de Orlando Boyer, páginas 207 a 227. Editora CPDA.

 

*Gregório Vicente é pastor, teólogo, escritor, administrador de empresas, casado há 39 anos tem 2 filhos casados e duas netas.