Mãe, presente dos céus | MULHERES NO ALTAR

Dedico esta mensagem à minha mãe (in memoriam) que me concedeu o dom da vida!

“Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza. Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.” (Salmo 139.13-16, ARA).

 

O Plano de Deus na nossa vida foi estabelecido na esfera espiritual, desde antes da fundação do mundo. Antes mesmo de nascermos Deus havia determinado nossos dias.  A Bíblia diz: “que tudo tem seu tempo determinado, há tempo de nascer e tempo de morrer”.

 

Mas a morte física, para nós que cremos, não é o fim, mas o começo de uma nova vida, sem mais dor, sem mais lágrimas, sem mais um corpo corruptível, mas de um corpo glorioso agora nos céus, em moradas que Jesus nos preparou.

 

Minha mãe foi uma mulher como nenhuma outra. Foi uma das primeiras mulheres a trabalhar no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em meados de 1954, escrivã do 12 Ofício.  Formada em advocacia com louvor, realizou todas as provas oralmente pois era portadora de uma doença degenerativa da medula, que não há impediu de realizar todos seus sonhos.

 

Ser mãe é receber o dom divino de gerar uma vida!

 

Mamãe me deu vida, lutou por mim. Nasci com uma síndrome, na época não existia recurso terapêutico, com 3 meses de vida fui submetida a um tratamento experimental onde fiquei sedada(dormindo) por quase 6 meses, nesse período mamava, tomava banho, trocava fralda, tudo dormindo e mamãe lutou pela minha vida. O tratamento foi um sucesso.

 

Foi mãe e pai, autoritária, firme, muitas vezes irredutível, austera, algumas vezes brigamos, me ensinou, me segurou… Mas o mais importante foi que ela me amou incondicionalmente. Mãe é um presente dos céus!

 

Não tenho palavras suficientes para descrever o quanto minha mãe foi importante para mim. O quanto me influenciou a ser forte, embora muitas vezes tenha sido uma manteiga derretida… Mamãe deixou um legado, meus filhos, minhas noras, duas bisnetas, futuros bisnetos.

 

Eu agradeço ao Senhor pelos seus 91 anos de vida. Por todos os dias em que o Senhor escreveu sua história uma mulher que marcou sua geração pela sua integridade, honestidade, austeridade e sobretudo por entregar sua vida ao Reis dos Reis e Senhor dos Senhores. O dia vai chegar aonde estaremos de novo reunidas nas Bodas do Cordeiro. Te amo mamãe! Sempre te amarei…

 

Eu sou Mônica Guimarães Vicente filha amada de Maria Cândida Salgado Guimarães.

 

                                                                                                        (26/04/1929-22/12/2020).

 

“Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” (Efésios 6.2.3).