Inquebrável

“Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”. (João 3.5, ACF*).

Somos o que queremos ou somos o que precisamos ser para sobreviver neste mundo pós-moderno? Onde a imagem é tudo neste turbilhão do novo, que desfaz o passado e o antigo como coisas sem valor, e faz do novo um suprassumo a ser seguido, compartilhado e clicado.

Neste andar frenético andamos sem saber quem somos, perdidos em nós mesmo estamos, e o nosso interior está despedaçado como um espelho, não queremos ver a nossa imagem pois odiamos o seu reflexo emitido.

Por isso corremos e nos distanciamos de nós para fingirmos ser algo que não é visto em nosso espelho. Mas a quem queremos enganar? Até quando queremos viver esta vida despedaçada, medíocre e com medo?

Está na hora de revelarmos quem somos, está na hora de lembrarmos de quem somos.

Cristo tem um diálogo com um homem que vivia nesta mesma trilha, era Nicodemos, uma pessoa importante, rica e culta, todavia estas representações eram a sua maneira de sobreviver e a sua realidade temporal. Contudo por dentro estava morto. Por isso as escuras procura o Mestre, longe de todos que ameaçavam a sua imagem, mas desejoso para viver de uma nova forma.

Cristo revela o caminho para aquele Homem, se queres viver de forma verdadeira e real, para além dos símbolos culturais de seu tempo, você deve nascer de novo. Nascer da agua e do Espirito.

Ou seja deve nascer da água, que para o judeu significa a passagem e purificação para algo novo, não uma religião, mas deve nascer para uma mudança de vida, constituída por valores. Como aquele povo no Egito que vagou por 40 anos pois seus valores estavam ainda presos no Egito e para entrarmos nesta nova dimensão, devemos mudar os nossos valores e o nosso coração que não deve estar centrado no passado mas naquilo que Cristo nos revela: Perdão para o nosso passado e restauração para as nossas dores, para vivermos uma nova vida. Que agora é constituída não por ter mas por ser uma imagem que Deus vocacionou, lhe chamou e designou desde do princípio, não importando os olhos dos outros.

E do Espirito para entendermos que não conseguiremos viver esta nova vida segundo as nossas forças e capacidades, mas pela capacidade de Deus em nossa vida que nos auxilia em todo o tempo, não sendo instrumento de punição mas de força, para sempre continuarmos e nunca pararmos.

Portanto que vivamos não segundo a imagem do que o mundo quer de nós, mas segundo é revelado em nosso interior por Cristo, sabendo que não importa o que outros digam, mas Cristo sempre vai sustentar esta nova vida. Assim não mais seremos como um espelho despedaçado, mas como um espelho inquebrável, já que Ele sempre nos regenera.

Ore: “Senhor, não quero viver mais esta vida de mentiras, não quero ficar mais preso ao passado, por isso peço perdão dos meus pecados e peço o renovo da minha vida, para viver a minha essência e a minha verdadeira vocação, para assim viver a minha realidade em Ti, sem mascaras ou mordaças, em nome de Jesus, amém”.

Texto: Lucas Vicente.

* ACF – Almeida Corrigida e Revisada Fiel.