Igreja Ao Lado

Qual é o nosso posicionamento diante da sociedade?

Como cristão e como igreja ou assembleia de Cristo, qual seria o nosso papel diante da realidade. A vida de Cristo é obviamente o fundamento e o caminho que devemos seguir. Ele nos mostra uma posição de humildade, que em grego significa se colocar um nível abaixo. Ou seja se colocar ao lugar do outro.

Foi isso que percebemos na obra de Jesus, principalmente ao ler ao Livro de Lucas, que apresenta Cristo como Salvador Universal, para todos homens, não importando sua posição social, por isso o evangelista destaca seu papel com os marginalizados na sociedade, como observamos, na anunciação do nascimento de Cristo aos pastores, como na revelação de Cristo a viúva Ana,  como no discurso das boas aventuranças: “os pobres, porque vosso é o reino de Deus”, bem como “os que tendes fomes, porque sereis fartos”, como também nas parábolas do Bom Samaritano, Parábola da viúva, Parábola do Fariseu e do Publicano, Parábola do Rico e do Lázaro  de Zaqueu. Ou seja a Obra de Jesus da espaço aos marginalizados como o publicano, samaritano, os pastores, galileus e até dá espaço de destaque as mulheres e as crianças.

Pois Jesus não se coloca acima destes atores históricos marginalizados julgando-os, como no caso dos Fariseus e Escribas, contudo ao lado: comendo com eles, ouvindo-os, amando-os, transformando eles com amor.

Então o papel da igreja, dos cristãos, assistir as pessoas, ou seja acompanhar as vidas com amor, este ponto fundamental do Reino, essa essência do Reino, como Jesus disse:

E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento. (Mateus 9.11-13 – ACF*)

No entanto, muitas vezes a Igreja se coloca acima, se coloca no lugar de julgamento, do apontamento, de imposição, como santa e separada. Colocando longe dos necessitados, tornando assim a igreja, um lugar que deveria ser de inclusão, forma-se como um lugar de exclusão, lugar de alguns que são considerados aceitáveis. Tornando então a Igreja e cristão mais a próximos a imagem dos Fariseus do que de Cristo. Por isso Cristo os reprende sua religiosidade, que serve e muito, para os dias atuais:

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, o endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas. Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo. “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês limpam o exterior do copo e do prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e cobiça. Fariseu cego! Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo. (Mateus 23.23-26 – NVI**).

Portanto a essência do Cristão e da Igreja é estar ao lado daquele que necessita, seja seu irmão, seu amigo, aquele que se apresenta auxilio, este nosso papel. Devemos entender que o mundo Jaz do maligno, no sentido das estruturas materiais, não do espaço, ou seja a realidade social pode ser modificada. Nos atitudes diárias refletem elas, sendo assim se o mundo mal e porque nossas atitudes ainda são más, pois onde basicamente deveria habitar o amor e a misericórdia, esta alocado o ódio e o julgamento.

Cabe nós saímos do conforto de nossa religião, proferir a essências do Cristão, que é amar e transportar o Reino para as pessoas, para assim formamos o mundo que desejamos.

 

Texto: Lucas Vicente.

* Tradução: Almeida Corrigida e Fiel.

** Tradução: Nova Versão Internacional.