Gennao Anothen

“Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. ( João 3.3 – ARA*)

Gennao Anothen, significa a  ideia de “ nascer de novo” expressa a mesma essência que nascer “ de Deus” e nascer “ de cima” (anothen, Jo 3:7; cf. 8:23). Descreve isto como sendo um ato de Deus, por isso o Apóstolo João afirma:

“Mas, a todos quantos o receberam, Deu lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: a saber: aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (Jo 1:12-13 – ARA*).

Para o homem este nascimento é absurdo, como observamos na resposta sarcástica de Nicodemos, apontando somente uma visão material e racional da vida e da fé, contudo somente pelo espírito nós podemos entender e ver o Reino de Deus. (Jo.3.5 e Mt. 19.28). Já que é por meio dele que o homem tem sua mente aberta para a cultura do alto, pois é convencido do pecado, da justiça e do juízo (João 16:7-11).

Já que o conceito de novo nascimento comum entre os Rabínicos do primeiro século, como Nicodemos, era: “Quando um homem ensina a Torá ao filho da outrem, as Escrituras tratam aquele como se tivesse gerado este”; “Um prosélito que acaba de se converter é como uma criança que acaba de nascer”. Voltado num sentido restrito humano, ponderado, num nascimento constituído de uma conversão/ensino/conhecimento da lei.

Contudo para novo o Novo Testamento, o novo nascimento é, primeiro algo que vêm de Deus, pela sua graça e misericórdia, e segundo que alcançamos por meio da fé.

A fé não conceitual mas a prática que nos leva ao mesmo tempo ao arrependimento e constrição de uma nova cultura de vida, capacitada e orientada pelo Espirito e palavra de Deus. Algo que não ocorre uma vez, mais é gesto e prática interminável, que se renova todos os dias. Por isso o Apóstolo Paulo afirma:

“Quanto à antiga maneira de viver, fostes instruídos a vos despirdes do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serdes renovados no vosso modo de raciocinar e a vos revestirdes do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da Verdade”. (Efésios 4.22-24 – KJA**).

Portanto por meio dos princípios da palavra de Deus aprendemos a viver segundo a cultura do alto, desconstruindo a aprendida neste mundo transitório. Como fazer o bem sempre, não revidarmos o mal com mal. Ou seja ela nos ensina uma nova maneira de raciocinar a vida, para assim sermos semelhantes a justiça e santidade do Reino de Deus.

Ore: “Senhor lhe agradeço, pois em Ti podemos nascer todos os dias novamente, sabendo que não é por nossas capacidades, mas pela sua graça, no qual podemos por meio de Sua Palavra sermos construídos continuamente novos, segundo sua imagem e semelhança, em nome de Jesus, amém”

Texto: Lucas Vicente

*Tradução: Almeida Revista e Atualizada

** Tradução: King James Atualizada