Ensino Da Figueira

“Vendo a distância uma figueira com folhas, foi ver se encontraria nela algum fruto. Aproximando-se dela, nada encontrou, a não ser folhas…” (Marcos 11.13).

A figueira nesta passagem representa a sociedade religiosa do 1° século, de fariseus, saduceus e escribas. Uma sociedade baseada na letra, no ritual e na tradição rabínica, perdendo o verdadeiro centro da vontade de Deus.

Cristo, então tenta instruir relembrando o sentido da figueira. Pois a figueira não é importante pela beleza de suas folhas, pelo seu tamanho e pela época de frutos, mas é importante no seu tempo dar frutos.

Aquela sociedade tinha em excesso aparência, status social, conhecimento e tradições, mas nada disto adiantava para produzir frutos.

Pois Deus não sonda nossa aparência, mas os nossos frutos, provenientes de nosso coração e de nossa prática. Sendo assim Deus não está preocupado com nossa roupa, aparência e com nosso conhecimento da palavra. E sim se obedecemos aos seus mandamentos, se praticamos o bem ao nosso próximo. Este é o centro da lei. Daí nossa fé, nosso talento e capacidade giram entorno deste centro, para assim ampliar o Reino trazendo vidas e luz ao mundo.

Por isso hoje relembramos o exemplo da figueira, para refletirmos qual tem sido o centro de nossas vidas.

Caso não tenha sido a vontade de Deus, faça uma oração de renovo ao Senhor.

Texto:Lucas Vicente