Discurso, Parábolas e Instruções – 16ª Parte – Mateus 24. 1 – 14 – Respostas

OBS. Lembrando que essas respostas não são absolutas, mas são apenas para direcionar um estudo sobre a Palavra do Senhor. 

A décima sexta parte do estudo desta semana é o texto de Mateus 24.1-14. Para ler clique ao lado: (http://migre.me/jaS80). 

1. Segundo Vs. 3, sobre qual tempo o “princípio das dores” está se referindo a profecia de Cristo? (O do século I, o de Hoje, de um futuro fim dos tempos). Como podemos relacionar Vs. 4-12, com a simbologia da figueira no Vs. 32. Sendo assim que tipo linguagem utilizar para nos instruir? 

R: Os discípulos V. 3 fazem duas perguntas a Cristo, quando ocorrerá destruição do templo e quando ocorrerá o fim dos tempos, que para Judeu estaria relacionado. Contudo Cristo mostra que uma diferenciação de temporalidade, demonstrando que fim dos tempos ocorre num período e de Jerusalém em outro. Por isso Vs. 3 – 14 se refere a profecia no futuro destinado ao Fim dos Tempos, que se relaciona também 23- 31 com a gloriosa volta de Cristo. Já os Vs. Vs. 15 – 22, se relaciona a destruição de Jerusalém. Então temporalidade da princípios das dores seria num futuro, que seria o preparatório para fim dos tempos. Jesus então aborda os princípios das dores e o fim dos tempos, de forma profética, ou seja demonstrando elementos de como vai ocorrer, assim como elementos de uma figueira, que quando começa perder suas folhas, sabemos que outono chegou, inverno se aproxima, e quando começa nascer sua folhagem significa que primavera chegou e o verão se aproxima. Então baseado nestes elementos podermos ficar atentos do que está se aproximando. Portanto Cristo está utilizando de linguagem profética de caráter metafórico, mas que indica elementos temporais que nos permitirá julgar e analisar o tempo, assim como agricultor observa a figueira, sabe o período dos frutos, assim poderemos comparar os elementos discernimos o período dos princípios das dores e fim dos tempos. 

2. Quais são os ocorridos que dão forma aos “princípio da dores”? (veja Vs. 4-8) Por que devemos advir estes elementos? Relacione aos conceitos 1. 

R: Os ocorridos serão como conceito 1, de Sedução, no grego planaomai, que no sentido transferido do primeiro século seria perder o alvo, ou seja, servirá para perdemos o foco em Cristo, em sua palavra e seu Reino. Por isso os elementos que incitam o princípios da dores, 1.são Falsos profetas, Cristos e tipos de cristianismos que aparentam ser correto mas se corromperam aos valores do mundo, 2. Rumores de Guerras e Conflitos, como a Guerra Fria, 1° e 2° Segunda Guerra mundial; 3. Fome, toda sorte de epidemias e terremotos, contudo são elemento do início do fim, mas não é fim, eles servem para nos afligir a fazermos perder o verdadeiro alvo. Importante sabermos destes elementos, para não deixarmos nos enganar e seduzir e perder nosso alvo, nos perdemos nos ocorridos, pois como Cristo nos ensina devemos orar e vigiar. 

3. Vs. 13 interpela a prática que o Cristão deve seguir, relacione com o conceito 2 e 3 a passagem Lucas 8.15, Lucas 21.14-19 (Veja Abaixo). Qual o principal elemento determinante para sabermos a hora da chegada de Cristo, observe Vs. 14. 

R: Conteúdo prático desta profecia além de saber julgar e analisar o tempo, e perseverar, que no grego basicamente nas suas variáveis significa ser forte, agir com persistência, manter-se ereto, suportar, ter longanimidade, esperar e ficar firme, desta forma devemos guarda a palavra de Deus em nosso coração, como aborda Lucas 8.15, para darmos frutos e alcançarmos com diz Lucas 21.19, salvação de nossa alma, já que vimos que alma onde encontra nosso intelecto/decisões/sentimentos diferente do nosso corpo é eterno, no qual podemos viver a eternidade com Cristo ou no inferno, depende de qual caminho iremos persistir. Pois como vimos no princípios da dores várias coisas viram para fazermos perder o alvo, a persistência na caminhada, e no fim dos tempos como mostra Vs. 9 -13; em Lucas 21. 14-18, haverá perseguição mundial da fé Cristã, então tudo cooperará para perdermos a Fé, Palavra, Proposito e consequentemente a Salvação. Por fim dois elementos básicos demonstrará o fim dos tempos apresentados em Lc. 21. 14-18 e Mateus 24. 11-14, a palavra de Deus alcançar todo o mundo, todos lugares, até os mais desolados, que aparentemente para nós ocidentais já ocorreu, mas se nós pesquisarmos um pouco, saberemos que boa parte do oriente, principalmente África, Ásia e parte da Oceania, muito não conhecem o que é o Cristianismo e muito menos a Cristo, principalmente os países que historicamente são Islâmicos, Hinduístas e Comunistas, que é totalmente proibido o pregação ou anuncio da palavra, e de qualquer cultura e informação de fora, se isolando em sua localidade. (Se quiser saber mais sobre assunto entre no site Portas Abertas do link ao lado:http://migre.me/jc8jm). A segunda Característica e a perseguição mundial dos Cristãos, não local como acontece na maior parta do mundo oriental. 

Principalmente África e Ásia, onde Cristão até hoje são presos, torturados, mortos, suas casas violadas e até suas áreas de ensinos metralhada, se você acha sensacionalismo, entre no site Portas Abertas indicado acima veja com seus próprios olhos, diversas matérias e testemunhos, do que realmente ocorre. 
Caso queira ver um trechinho do que ocorre veja os link abaixo: 
https://www.youtube.com/watch?v=wlDDWYbjByU 

Conceitos: 
1. Seduzir: forma ativa dos vbs. planao e apoplanao raramente se emprega no seu sentido literal. Num sentido transferido, no entanto, o vb significa “desviar”» “lograr”, mediante o comportamento ou as palavras. Pode-se referir ao julgamento de uma pessoa, ou a ações no âmbito moral, (apo-) planaomai significa lit., “vagar para longe” ou “perambular” .Num sentido transferido, o vb. Chega a significar “vaguear fora do percurso”, “perder o alvo”, nos pensamentos, na fala ou nas ações. 

2. Perseverar: Todas as palavras tratadas neste título se referem à perseverança do homem quando enfrenta as adversidades da vida, e reage, seja com submissão passiva, ou com resistência corajosa, rnakrothymia quase sempre expressa a ideia de passividade, ao passo que kartereo raramente se entende assim. As várias palavras, sendo, a rigor, termos militares, são de fácil disponibilidade como metáforas em conexão com as batalhas da vida. A palavra com a gama mais larga de significados é anechomai, que originalmente significava “ levantar” , “ alçar”’ , e, depois, intrans., “ cessar” , e méd. “manter-se ereto” , “ suportar” , kartereo significa “ ser forte” , “ perseverar” , e também “ agir com persistência diante da oposição” ; na ética gr., é um termo técnico para o “ porte reto” do sábio. Do outro lado, rnakrothymia, que é rara em Gr., denota a “submissão resignada” a uma situação que é, para todos os efeitos práticos, irremediável. Na teologia, porém, a palavra adquire um significado mais positivo: a rnakrothymia de Deus é a Sua “ longanimidade” ou “ clemência” , que fica entre os extremos da ira e da graça. hvpomeno significa em primeira instância “ ficar para trás” , “ esperar” , “ aguardar” , Depois, adquiriu o sentido mais ativo de vencer dificuldades: “ perseverar” , “ ficar firme” , “ resistir” .

3. Alma: A Palavra grega para “alma” é psyche, de onde vem as palavras “psiquiatria e psicologia”. A psique é sede das emoções, sentimentos, vontades, paixões, razão e entendimento, e por isso, a alma é diferenciada do corpo físico. A “psique” é o nosso “Eu” interior, a essência da vida. Várias vezes essa palavra no grego denota a própria pessoa “(At. 2.41, 43; I Pe. 3.20). A psique não pode ser dissolvida com a morte. Corpo e espirito serão separados, mas espirito e alma podem ser apenas distinguidos, jamais divorciado. 

Complementos: 
1. O ensino deste sermão é o resultado das duas perguntas dos discípulos do versículo 3, após Jesus anunciar a destruição do templo nos Vs. 1-2. Daí Jesus abordar 3-14 fim dos tempos; 15 – 22 Destruição de Jerusalém e 23 -31 a gloriosa volta de Cristo. 
2. Jesus se retira do templo e sobe com discípulos em direção monte das Oliveiras – uma cordilheira, ao leste de Jerusalém do outro lado do vele de Cedrom, com quase dois quilômetros de extensão com cerca de 70 metros acima do nível da cidade. De agora em diante nunca mais entrará no templo. De agora em diante nunca mais entrará no Templo. Tudo é parte da grande visão profética de Ezequiel, que viu a glória do Senhor abandonar a cidade de Jerusalém e o Templo, mais precisamente em direção ao monte das oliveiras (Ezequiel 8.4-6). Naquele momento estava cumprindo a Palavra do Senhor que veio de Ezequiel em 535 a.C. Ao chegar ao alto do monte, Jesus lança um último olhar sobre cidade amada que o rejeitou. Ao pôr-do-sol, senta-se com seus discípulos e ficam observando a noite chegar sobre o Templo e o povo de Jerusalém. 

Passagens Bíblicas: 
“No entanto, as que caíram em boa terra são os que, de bom coração e com sinceridade, ouvem a Palavra, a entesouram e com perseverança, frutificam”. (Lucas 8.15 – KJA*) 

“Assentai, portanto, desde agora, em vossos corações que não deveis vos preocupar com que haveis de declarar em sua defesa. Porque Eu colocarei as devidas palavras em sua boca e vós considerei sabedoria, a que não conseguirão resistir ou contradizer todos que vierem a se opor a vós. Mas sereis traídos até por pais, irmãos, parentes e amigos, e mataram alguns de vós. Por todos sereis odiados por causa do meu nome. Contudo, não se perderá um único fio de cabelo de vossa cabeça. E na vossa perseverança que confirmais a salvação da vossa alma”. (Lucas 21. 14-19 – KJA*) 

Baseados nos livros: 
COENEN, Lothar e Brown, COLIN. Novo Dicionário de Teologia do Novo Testamento. Vol. 1. São Paulo; Vida Nova, 2000. p.1488. 
NOVO TESTAMENTO. Ed. Estudo. Tradução e revisão comitê internacional e permanente de tradução e revisão da Bíblia King James Atualizada. São Paulo; Abba Press, 2007. p. 1811 e 1988 (Notas de rodapé 2; 10). 
STIBBS, Alan M. Estude a Bíblia: Um guia de Estudo Diário Para aprender a Palavra. São Paulo; Shedd Publicações. 2011. p.322. 
WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento. Volume 1, São Paulo; Editora Geográfico, 2007. p. 111-112 
*KJA – Significa a tradução do versículo utilizada, que é a King James Atualizada. 

Texto: Lucas Vicente