DIA 33 – OLHOS DA ETERNIDADE

Mateus 6.22-23 (NVI): 22 “Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. 23 Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são! [1]

 

Ao ensinar sobre a ansiedade, as preocupações da vida, depois de nos mostra o fundamento,  que é o coração, Jesus prossegue nos instruindo.

 

Nunca consegui entender bem esse versículo, mas olhando para contexto, via que estava relacionado com a ansiedade. Até que ao perceber que para os judeus, os olhos referem-se a cobiça, o desejo desenfreado de ter sempre mais (Provérbios 17.20; Eclesiastes 1.8), compreendi o que Jesus estava dizendo.

 

Os olhos e os ouvidos são entradas para o nosso coração. Sobre todas as coisas temos que cuidar do nosso coração, guardando-o (Provérbios 4.23). Depois de nos revelar o fundamento que é o coração, como chave para toda ansiedade, Jesus nos demonstra na prática o que tem afetado o nosso coração.

 

Os olhos que são maus, e nunca se saciam com que têm (Provérbios 17.20), e que fazem nosso coração querer sempre mais, em cobiça, ganância e egoísmo, e nos faz ser por completo trevas, em todas as nossas atitudes diárias.

 

Dessa forma, nos tornamos densas trevas, e a luz que achávamos que tínhamos por causa de práticas religiosas, nada são. Apenas desculpas, e ferramentas para aumentar a nossa insaciada vontade de ter mais.

 

Oração: Pai em nome de Jesus, quero tirar a cobiça dos meus olhos que não cessam em ver e desejar, querer sempre mais! Não fui feito para as coisas me terem, mas para ser, e ao ser dominar sobre as coisas que são ferramentas para meu suprimento nessa terra. Amém!

 

Texto e vídeo: Thiago Vicente.

 

[1] Nova Versão Internacional. (2001). (Mt 6.22–23). São Paulo: Sociedade Bíblica Internacional.