DIA 27 – OBRAS DE CARIDADE

Mateus 6.2-4 (NVI): “2 “Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem honrados pelos outros. Eu lhes garanto que eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará.” [1]

 

A MENSAGEM DIÁRIA prossegue com ‘Sermão do Monte’ no capítulo 6 do Evangelho segundo Mateus.

 

Ao ensinar sobre as “obras de justiça”, Jesus ensina primeiro sobre as obras de amor ao próximo: obras de caridade. O judeu deveria dar esmola aos necessitados, como mandava a Lei (Êxodo 23.10,11; 30.15; Levítico 19.10; Deuteronômio 15.7–11). E o judeu, quando algo está escrito na Lei, ele cumpria, não porque gostava ou amava, mas porque estava escrito.

 

Por isso, que Jesus disse: “Quando você der esmola” e não “se quiser dar esmola”. No entanto, temos aprendido que a intenção de tudo no Reino precede a ação, e vale mais do que a mesma.

 

Então, Jesus ensina que ao dar esmolas, ou seja, ao fazer obras de caridade, não devemos fazer para aparecer e buscar reconhecimento dos homens. Não deve ser para receber aplausos e honrarias, mas algo em segredo com seu Pai Celestial, e assim obteremos recompensa.

 

Oração: Pai em nome de Jesus, que eu sempre esteja ajudando o necessitado, e que isso não seja feito para buscar reconhecimento humano, mas para fazer a tua vontade, como fruto do meu relacionamento contigo. Amém!

 

Texto e vídeo: Thiago Vicente

 

[1] Nova Versão Internacional. (2001). (Mt 6.1–4). São Paulo: Sociedade Bíblica Internacional.