DIA 22 – ENTENDENDO O DIVÓRCIO E O REINO

Mateus 5.31-32 (NVI): 31 “Foi dito: ‘Aquele que se divorciar de sua mulher deverá dar-lhe certidão de divórcio’. 32 Mas eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de sua mulher, exceto por imoralidade sexual, faz que ela se torne adúltera, e quem se casar com a mulher divorciada estará cometendo adultério. [1]

 

Prosseguimos com sermão do monte na MENSAGEM DIÁRIA. Depois de falar do adultério, Jesus vem ensinar sobre o divórcio e o Reino.

 

Jesus está citando o texto da Lei, de Deuteronômio 24.1, que permitia ao homem repudiar a sua esposa, ou seja, manda-la embora de casa. Que na tradução para nossa linguagem de hoje, seria o “divórcio”.

 

Esse texto tem causado grande controvérsia em toda a história de igreja, pelos séculos, sendo utilizado como base para as pessoas não poderem se casar uma segunda vez.

 

No entanto, o que texto demonstra é algo importante e libertador, porque senão toda pessoa que cassasse uma segunda vez, não teria perdão e nunca poderia ser salvo.

 

Entendemos que o divórcio nunca é bom, e que Jesus disse o que Deus uniu, o homem não pode separar, mas que o divórcio tem o fruto da dureza do coração de ser humano (Mateus 19.4-9).

 

Mas o que acontece é que o casamento era um contrato entre duas pessoas, homem e mulher, de fidelidade conjugal. Quando o marido, ou a esposa, traísse o outro com outra pessoa, se relacionando intimamente, esse contrato, essa aliança seria quebrada.

 

Então, o que Jesus está dizendo é que quando ocorre a infidelidade conjugal, a aliança matrimonial é quebrada, e assim quando isso ocorre o outro cônjuge que sofreu a traição fica livre do compromisso do casamento e pode casar com outra pessoa, sem cometer adultério.

 

Jesus está dizendo o que acontece quando se traí o cônjuge, e não que não se pode casar uma outra vez. Com isso, não está nos dando “carta branca” para sair separando e casando quando vezes quisermos, mas como o casamento funciona na perspectiva de Deus e do Reino.

Se uma pessoa não pudesse casar uma segunda vez, sendo assim um novo casamento inaceitável, seria um pecado sem perdão, e Jesus disse que apenas que a blasfêmia contra o Espírito Santo é que não tem perdão (Mateus 12.31).

 

Oração: Obrigado Pai Santo, porque meditar nas palavras de Jesus é libertador, principalmente do jugo da religião, sabendo que o SENHOR fez o casamento para que o homem e a mulher permaneçam juntos por toda vida, mas que em meio a dureza do coração humano podem ocorrer separações, mas que essa nunca é sua vontade para o casamento. Em nome de Jesus. Amém!

 

Texto e vídeo: Thiago Vicente

 

[1] Nova Versão Internacional. (2001). (Mt 5.31–32). São Paulo: Sociedade Bíblica Internacional.