DALILA, A Manipuladora

“Então ela lhe disse: “Como você pode dizer que me ama, se não confia em mim? Esta é a terceira vez que você me fez de boba e não contou o segredo da sua grande força”. Importunando-o o tempo todo, ela o esgotava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer”. Juízes 16:15,16 NVI

 

A história de Sansão e Dalila, se encontra no livro de Juízes (16.4-31), é uma lição sobre o caráter do ser humano e suas fraquezas. Sansão era nazireu consagrado ao Senhor desde o nascimento; levantado por Deus para livrar o povo de Israel das mãos dos filisteus. Porém Sansão tinha uma fraqueza: as mulheres de outros povos.A beleza e a traição são palavras que traduz esta história. Sansão, líder do povo israelita, apaixonou-se por Dalila, mulher pagã, e foi destruído por causa desta paixão. Ela o persuadiu e usou de sua sutileza para descobrir o segredo de sua força.

 

Quantas “Dalilas” são usadas pelo diabo para exercer este mesmo papel de destruir o próximo nos dias de hoje? Usam de vários métodos para descobrir qual o “segredo” da força de um homem ou de uma mulher para manipular segundo seus próprios interesses. No hebraico Dalila quer dizer mulher fraca, dócil. A palavra de Deus nos ensina que para se conhecer alguém necessário é ver os frutos, muitas vezes a paixão da carne ultrapassa esta etapa e apenas vislumbra o exterior.

 

Dalila foi uma mulher manipuladora usada para trair a confiança de Sansão, ardilosa, perspicaz em seu plano fingindo amá-lo –Como pode dizer que me amas, se…. O “se” impõe uma condição: se você fizer isso ou aquilo, isto te recorda algum ato passado? Dalila foi usada para enganar Sansão em troca de dinheiro. Quem sabe você já tenha se aproximado de alguém para ganhar algo em troca. Ou talvez você não perceba pessoas que se aproximem de você por interesse.

 

Dalila é um grande exemplo de como é importante pedirmos a Deus o dom de discernimento de espíritos (1 Coríntios 12.10). O discernimento de espíritos ajuda a conhecer a verdadeira natureza daqueles com os quais lidamos quer sejam bons ou maus, ou seja, a verdadeira motivação por trás de uma pessoa ou a verdadeira natureza de uma situação.

 

Oração: “Senhor faça morrer minha natureza terrena , despojando de todo fingimento, manipulação. Peço que tu me dês uma mente cheia de entendimento e um coração que ouve a Tua voz para que eu possa discernir entre o bem e o mal.  Oro no nome de Jesus”.

 

Texto e Vídeo: Mônica Vicente

 

*Mônica Vicente é evangelista, teóloga, plantadora de Igreja, turismóloga. Casada Há 39 anos tem dois filhos casados e duas netas.