Como Era o Espaço de Culto no Século I?

 Nas últimas colunas explanamos sobre liturgia do culto da igreja primitiva, demonstramos, como se assemelhava muito na da sinagoga, por isso semana passada falemos, da importância social e do espaço da sinagoga. Já nesta semana estaremos falando sobre o espaço do culto da igreja dos Apóstolos. Como sabemos inicialmente a igreja de Jerusalém se reunia no templo, nas escadarias de fronte praça das Portas Hulda, e nas casas, com do cenáculo da mãe de João Marco.

Contudo com tempo o distanciamento dos judaizantes, espaço do cristianismo em outros centros, como Antioquia, Damasco, Corinto, Éfeso e Roma, resultou a igreja situa mas dentro das casas. No caso evangelização como vemos na carta de Atos, Paulo comumente inicia na Sinagoga judaica, mas estruturação depois inicia-se em casas, e em até Escolas de Filosofia como de Tirano

Igreja Jerusalém

Então o padrão das casas foi modelo básico para estruturação da igreja primitiva, constituindo uma fé, sem espaço sagrados e áreas de cultos de estruturas imponentes, nenhuma imagem cultua de deus ou de Cristo que concentrasse e estimulasse a devoção, nenhuma procissão pública que impressionasse, e  também não havia sacerdotes nem ritos sacrificais. Assim culto cristão se inicia no espaço das casas, da intimidade, será ele um importante instrumento para o crescimento da igreja*.

O ambiente físico da adoração cristã primitiva era o lar; na maioria dos casos, provavelmente os lares dos cristãos de situação financeira relativamente melhor, os quais dispunham de recursos econômicos que lhe permitiam espaço suficiente para acomodar as reuniões de adoração. Normalmente estas casas ou mansões greco-romanas, não tinha capacidade para receber mais de cinquenta pessoas, diferente das casas na palestina, que podiam ter no segundo andar, com um grande salão, como no caso na mãe de João Marcos, que serviu de espaço central da igreja de Jerusalém, pois foi lá a Ceia, as duas aparições de Jesus, a votação para colocação de um Apóstolo no lugar de Judas, oração para Pedro, lugar onde Pedro foi após ter saído da prisão.

Nestas mansões greco-romanas os cultos aconteciam na área do pátio, pois seria o espaço que poderia acomodar as pessoas, muito propicio este espaço, pois nele também era comum os banquetes, então além de servir como área de culto, servia como área de refeição comum, demonstrando como área do culto importante espaço de intimidade e comunidade. Então estes grupos não tinha nenhum tipo de acepção como será comum no mundo romano, associações vinculadas normalmente aos ofícios e somente para homens. Além de ter que pagar para sua entrada. Os espaços cristão não tinham barreiras, de posição social, trabalho e gênero, todos poderiam se relacionar num espaço de intimidade a casa, e de refeição comunitária, trazendo uma ligação forte aos fiéis

Igreja no Mundo Helenico

Era comum no inicio dos cultos recebimentos dos irmãos com ósculos ou beijos santos, assim tornando tratamento entre os fies mais humanos, uma vez que beijo naquele período era trato de respeito e afeição comum apenas entre os membro de uma família. Também sempre no fim dos cultos, a prática do sacramento da ceia, onde todos desfrutavam do mesmo pão e do mesmo cálice.

Portanto, o ambiente doméstico, o tamanho do grupo que constituía a igreja domiciliar e o papel fundamental da refeição  comunitária na prática da adoração podem ser entendidos como elementos que contribuíam para a intimidade social e a forte solidariedade entre os participantes

 

*Vale lembrar separação da igreja não hierarquia mas de serviço, então apostolo não maior que diácono, só tem serviço diferente, totalmente diferente dos dias atuais. Como também não tem as áreas santas e profanas, pois a igreja se via como luz, diferente também nos dias atuais, por fim única divisão com o  mundo era de valores.

Texto: Lucas Vicente

Referência:

HURTADO, Larry w.  As Origens da Adoração Cristã: O caráter da devoção no Ambiente da Igreja Primitiva. p. 58-63.