Atuar É Viver?

O espelho mostra diversas imagens, qual delas será a realidade, não conseguimos mais lembrar do nosso reflexo. Pois nos perdemos no fluxo intemporal da vida, onde as máscaras são refúgios de nossa sobrevivência.

O palco da vida então nos impulsionou para atuarmos em tempo integral em nossas vidas, fazendo de cada espaço social, uma máscara, um papel, que precisamos atuar. Por isso por dentro morremos, e nos sentindo a cada instante sumindo e nos perdemos.

Mas é hora de rasgarmos as máscaras e lembrarmos de quem somos e para onde queremos ir. É hora deixar a vida comandar nossos passos, em seu “agorismo” e na sua mediação instantânea. Para isso é necessário refletirmos tudo que gira ao nosso redor e no nosso interior, para assim sabermos quem somos e o que queremos ser.

As palavras paulinas ainda ecoam em nossa vida:

“Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá”. (Efésios 5.14, ACF).

Paulo chama a igreja de Efésios a acordar e despertar deste sonho da atuação: da religiosidade, das tradições e do sistema mundo, para vivermos uma vida inteira, despertando do sonho da alienação para vivermos esclarecidos pela palavra que é Cristo.

Portanto não sermos mais atores que fingem viver a vida, mas pessoas que escoram sua vida em seus propósitos e na palavra de Cristo, pois não vivemos mais com medos de sermos aceitos nem nos assujeitamos por este sistema mundo maligno, mas somos constituídos segundo os princípios do Pai para a nossa vida.

Texto: Lucas Vicente.

*ACF – Almeida Corrigida e Revisada Fiel.