Atiro ou Não Atiro?

Podemos dizer que em toda a nossa existência passamos por diversas circunstâncias, situações que não imaginávamos viver, ou até sabíamos que poderíamos passar, mas a sensação e as reações de viver uma situação é bem diferente do que vê-las de longe na vida de outra pessoa.

Construímos e desconstruímos respostas, perguntas, ações e reações, o fato do imaginário é totalmente contrário ao da realidade.

Jesus, porém, foi para o monte das Oliveiras.  Ao amanhecer ele apareceu novamente no templo, onde todo o povo se reuniu ao seu redor, e ele se assentou para ensiná-lo. Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos. E disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério.  Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz? ”  Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo. Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.  Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão.  Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando com os mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele. Então Jesus pôs-se de pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou? ” “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.  Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (João 8.1-12 – NVI*)

A posição que nos colocamos sempre será uma escolha, podemos tentar ter o mesmo sentimento ou simplesmente negar a existência deste acontecimento que um dia poderá ser o nosso também. Então teremos neste cenário os mesmos expectadores que fomos naquele momento ou não, vai depender da nossa visão.

Compaixão este foi o sentimento e a decisão que Jesus teve ao olhar para aquela mulher e para nós, Jesus se colocou em nosso lugar e viu que em algum momento os ventos não foram favoráveis a nós e nos perdemos no grande mar da vida.

Saiba discernir e compreender as pessoas que te cercam, antes de qualquer julgamento, ouça pelo menos o que essa pessoa tem a dizer, depois disso conte esse problema ao único que nunca julgará sem o seu amor incondicional e sem esperar algo em troca.

Portanto Jesus te ajudará a compreender e amar esta pessoa e com certeza você poderá ser uma ferramenta de mudança e ajuda para outro e a si mesmo, assim como Cristo foi para este mulher na passagem bíblica.

Ore: “Senhor Jesus eu não tenho essa compaixão que habita em sua vida, mas a partir deste momento eu compreendi e eu quero ter o mesmo sentimento que habita em Ti, me transforma, eu não quero atirar nenhuma pedra, sou o primeiro que precisa do seu perdão. Oro e peço a sua ajuda em nome de Jesus, Amém!”

Texto: Vivian C. Thomazinho Vicente.

 *NVI – Nova Versão Internacional.