As Aparências Enganam

“Ana orava silenciosamente, seus lábios mexiam, mas não se ouvia sua voz. Então Eli pensou que ela estivesse embriagada”. (1 Samuel 1.13)

Muitas vezes ficam claro os erros de pessoas que nos cercam, daquelas que temos um convívio diário: família, escola ou trabalho. Porém é muito difícil fazer a mesma coisa em nós.

O sacerdote Eli conforme o texto achou que Ana estava embriagada, porém não percebia que seus filhos desobedeciam ao Senhor.

“Entretanto os filhos de Eli eram ímpios, não se importavam com o Senhor, tampouco obedeciam os tradicionais deveres de sacerdotes”. (1 Samuel 2.12).

Deus havia dado uma ordem a Samuel para ungir um novo rei em Israel, porém Samuel se deixou enganar pelas aparências:

“Logo que chegaram, assim que Samuel colocou os olhos sobre Eliabe disse consigo: Deve ser este o homem que o Senhor quer ungir. Entretanto Deus assegurou a Samuel: Não te impressiones com a aparência nem da estatura deste homem, pois Eu o rejeitei. Deus enxerga não como ser humano vê, porquanto o homem e toma em elevada consideração à aparência, mas o Senhor sonda o coração”. (1 Samuel 16.6,7)

Enxergar claramente os erros nos outros é fato, pois estamos sempre preocupados com a espiritualidade alheia e esquecendo de cuidar da nossa. Julgar pela aparência é arriscado, pois os olhos humanos não atentam para o interior.

Os julgamentos impedem de enxergar o verdadeiro.

“Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça”. (João 7.24)

“Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão”. (Mateus 7.5)

Ore: “Pai Amado, que os nossos olhos sempre estejam postos em Ti. Que o Teu Espírito Santo nos ajude a não julgar. Oro no nome de Jesus”.

Texto: Mônica Vicente.