A Mulher de Potifar, “ninguém está olhando”

“Assim, embora ela insistisse com José dia após dia, ele se recusava a deitar-se com ela e evitava ficar perto dela.
Um dia ele entrou na casa para fazer suas tarefas, e nenhum dos empregados ali se encontrava.
Ela o agarrou pelo manto e voltou a convidá-lo: “Vamos, deite-se comigo! ” Mas ele fugiu da casa, deixando o manto na mão dela.” Gênesis 39.10-12

 

A história dessa mulher, cujo nome não é mencionado, está associado a história de José, filho predileto de Jacó. José era odiado pelos irmãos e foi vendido como escravo e levado para o Egito, onde foi comprado por Potifar, capitão da guarda de Faraó. José logo ganha confiança de Potifar e se tornou administrador de sua casa. A Bíblia narra que José era atraente e de boa aparência. Neste contexto que a mulher de Potifar colocou os olhos em José e pediu para se deitar com ele.

 

José recusou o convite e repreendeu sua atitude imoral. A Mulher de Potifar ignorou sua repreensão e insistia todos os dias convidando-o para adulterar com ela. José não cedeu aos seus convites. Certo dia José precisou ir até a casa para cuidar dos negócios de Potifar, a casa estava vazia, era a oportunidade que a Mulher de Potifar esperava. Ela o agarrou pelo manto e tentou a força fazê-lo se deitar com ela. José fugiu deixando seu manto em suas mãos. Tomada pela fúria da rejeição, aproveitou do manto e formulou uma falsa acusação sobre ele, chamando os empregados. Ela sustentou sua acusação até a chegada de Potifar, contou a ele sua mentira e mostrou o manto como prova de seu falso testemunho. Potifar ficou irado com José lançando na prisão.

 

O que aprendemos com a Mulher de Potifar?

 

Toda esta história nos mostra por um lado o caráter de José e do outro a imoralidade, lasciva, maldade desta mulher adúltera. Jesus disse: Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez. Tudo começa pelo olhar. Jesus diz: Qualquer que olhar para uma pessoa com desejo, já cometeu adultério com esta no seu coração. (Mateus 5.28ª parafraseado)

 

Qual é seu limite quando ninguém precisa saber ou ver? Trair um namorado pela internet? Envolver-se num relacionamento com um homem (mulher) casado? Envolver-se em relacionamentos inapropriados no seu local de trabalho, academia, vizinhança? Navegar em sites explícitos, assistir programas de televisão pornográficos? Usar roupas provocantes para atrair homens? Motivações sexuais estão por toda parte. Mas o verdadeiro padrão moral está em Deus, esse mesmo padrão que José seguiu, não mudou. Assim como José precisamos sempre fazer as escolhas certas e viver todos os dias no caminho da vida plena, eterna, verdadeira.

 

Você pertence a alguém:

 

“Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”. (1 Coríntios 6:20 – ACF*)

 

Vamos orar: Pai Amado oro por cada pessoa que está sendo tentada na área sexual, escravizada na mente, no corpo, em sites pornográficos em pensamentos impuros em relacionamentos adúlteros e outros meios ilícitos eu peço agora que O Espírito Santo viste cada vida libertando desta escravidão, desviando os olhos das coisas inúteis que levam a morte espiritual. Faça morrer toda natureza terrena que leva a lascívia, libertinagem, a cobiça do olhar. Ensina a cada um o caminho da vida com entendimento de guardar a Palavra de Deus perseverando até o fim. Oro no nome de Jesus.

 

Texto e Vídeo: Mônica Vicente

 

Mônica Vicente é evangelista, teóloga, plantadora de Igreja, turismóloga, casada há 39 anos. Tem dois filhos casados e duas netas.