A Língua Tropeça?

“Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo. Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo. Tomem também como exemplo os navios; embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto. Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha. Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno. Toda espécie de animais, aves, répteis e criaturas do mar doma-se e é domada pela espécie humana; a língua, porém, ninguém consegue domar. É um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero. Com a língua bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus”.  (Tiago 3.2-9 – NVI*)

As palavras que saem dos lábios conduz o caminho da vida ou da morte. O apóstolo Tiago expõe uma realidade em que hoje os médicos atestam: o sistema nervoso da fala influencia todo o corpo!

Entretanto além desta influência natural existe a espiritual; a qual vai manifestar quem está no controle da língua: Deus ou o diabo. Devemos controlar as palavras ásperas, duras e injustas que destroem o homem feito a semelhança de Deus.

O Espírito Santo que habita e está dentro de nós trabalha para que esta área tão estratégica de nossa vida seja preenchida com Seu poder.

Lembre-se: a sua boca fala do que o coração está cheio. (Lucas 6.45)

Pai Amado peço-te que coloque um anjo de sentinela na minha boca para eu não pecar com a língua. Oro no nome de Jesus.

Texto: Mônica Vicente

*Tradução: Nova Versão Internacional