Incrível Graça

“História do jovem rico” (Lucas 18.18-23).

Certo dia, chegou um jovem rico diante de Jesus e perguntou: “Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” Quantas pessoas hoje tentam fazer o é bom, para serem salvas, umas se esforçam tanto, e outras fazem apenas o que acham que é certo. Mas a maioria, se acha justa e digna de ser salva, e ir para o céu.

Então Jesus respondeu para aquele jovem: “Sabes os mandamentos: não adulterarás, não matarás… E o jovem respondeu: Que tinha observado todos os mandamentos desde a sua juventude.” Mas se esse jovem já sabia as regras, e as seguia desde pequeno, porque estava preocupado com sua salvação?

Porque existia algo dentro dele, dizendo que faltava algo, que ele não estava salvo. Assim como muitos de nós, por mais que façamos o bem, fica um vazio estranho dentro de nós e sentimos que algo está faltando.

E Jesus afirmou aquele jovem: “Mas ainda falta algo para que você seja salvo! Vende toda a sua riqueza, dá aos pobres e me segue!” O que faltava para aquele jovem? O que falta para tantas pessoas hoje em dia? Não seguir um monte de mandamentos? Mas a graça de Deus através de Jesus Cristo diz:

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é presente de Deus” (Efésios 2.8).

Aquele jovem não tinha Deus em primeiro lugar em seu coração, então por isso sentia que faltava algo para ser salvo. Ele usava como desculpa os mandamentos para justificar isso. E atualmente tantas pessoas acham que são boas, e o que fazem, a tornam dignas de serem salvas. Mas somos salvos apenas pela INCRÍVEL GRAÇA DE DEUS, ATRAVÉS DA FÉ EM JESUS. Se colocarmos Jesus verdadeiramente em nossos corações, em primeiro lugar, obedeceremos a DEUS, sem medo, faremos o bem sem medo, PORQUE SABEMOS QUE A TUA INCRÍVEL GRAÇA NOS SALVA.

Oração: “Pai agradeço pela sua infinita graça. Peço perdão pelos meus erros e que possa mudar e viver a plenitude da Sua graça na minha vida. Que eu possa te colocar em primeiro lugar na minha vida e no meu coração. Oro em nome de Jesus. Amém.”

Texto: Thiago Vicente