As Tramas Do Pai-Nosso

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;  venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal, pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém” (Mateus 6.9 – 13).

A oração do Pai-Nosso ecoa sobre as eras e até hoje nos alcança com seu ensino. Para isso necessário compreender cada ressonância deste som, entender seus versos e suas melodias.

Para então sermos embalados pelos acordes do Reino de Deus.

A oração do Pai-Nosso um ensino constituído após o desejo dos discípulos de Jesus, em saber orar. Já que João Batista, os Fariseus e Escribas tinham costume de ensinar orar. Contudo esta oração representava passar um segredo, uma oração única, que poderia realmente revelar os mistérios de Deus.

Seria como hoje pedirmos a Jesus nos revelar uma mágica, para resolvermos os mistérios de Deus e da nossa vida. Esta oração passada por fariseus, escribas, essênios, costumava ser longa, complexas, secretas.

Desta forma Jesus revela então pela oração, o segredo de se relacionar com Pai, mas de forma surpreendente, pois não foi revelada de forma complexa, longa, nem muito menos mágica, mas simples, curta e cotidiana.Jesus demonstra que o Reino não é construído pelo muito saber e falar, sim por vivenciar os desejos cotidianos da vida.

Pois Jesus nos revela em sua oração, que Deus é completo, por isso é Santo, sem macula, que somente nele encontramos o Bem. Por isso Jesus pede ao Pai  ”que seja feito Sua vontade”,

Assim a cultura, práticas, valores e  frutos do Reino, são edificado em nós, para vivenciarmos  o bem do Senhor nesta Terra.

Contudo para não desviarmos do principal foco, o Reino. Jesus clama para que nem as necessidades do dia, “o pão nosso”, nem as mágoas e pecados “perdoa nossas ofensas, assim como perdoamos”  e nem  muito menos as tentações, “nos guarde de todo mal”, nós  afaste do caminho do Senhor. Para vivermos por inteiro o Reino, com fé, amor, perdão e verdade.

Assim as duas partes da oração se completa por inteiro. A primeira de viver pelo Senhor e a segunda  de saber que nEle  somos supridos.

Portanto Vivendo por  Ele/ Ele é o nosso suprimento, são os acordes perfeito da harmonia do Reino.

Ore: “Senhor ajuda-me a viver por ti , não me deixando desviar por tentações, mágoas, pecados e tribulações, pois sei que  o Senhor é suficiente para me supri, peço em nome de Jesus, Amém”

Texto: Lucas Vicente