Pão da Vida

“trabalhei, não pelo alimento que se perde, mas pela comida que permanece para vida eterna” (João 6.27).

O que nós temos nos alimentando diariamente?  Entretenimento? Consumo? Relacionamentos? amores?…

São coisas boas, mas que passam, e não podem ser o centro da vida do homem, pois é passageiro.

No mundo pós-moderno, o importante é aproveitar o momento, o instante, o agora. Mas quando o agora passa, o que sobra? Sombra e pó.

A vida é muito mais do que este mundo transitório, mas devemos procurar aquilo que é eterno. Aquilo que permanece para sempre, que não se encontra nos governos humanos, nem no passageiro consumo humano, muito menos numa ideologia dominante.

Por isso devemos nos alimentar do Espírito, da Palavra, de Deus, então nossa alegria é completa. E vazio de nossas almas não pode ser alimentado, por alimentos fragmentados, do agora, mas somente da linearidade de Cristo, dele que esperamos tudo, nele nos satisfazemos.

Pois como disse Cristo, o bom tesouro aquele que nem traça pode destruir e nem ladrão roubar, já quea  fama passa, dinheiro fica, os bens sem perdem nas mãos de outros, mas o tesouro de Cristo, é o verdadeiro alimento: de amor, paz, salvação e do seu Espírito estes não se desfazem com o tempo.

Ore agora: “Pai te agradeço, pois abre os meus olhos para comer da verdadeira comida, e a buscar do verdadeiro tesouro. E te peço ajuda-me, a não levar-me pelos instantes deste mundo de ilusões, mas sempre procurar a vida eterna em Ti, em Nome de Jesus, amém”.