"Em Jope havia uma discípula chamada Tabita, que em grego é Dorcas, que se dedicava a praticar boas obras e dar esmolas. Naqueles dias ela ficou doente e morreu, e seu corpo foi lavado e colocado num quarto do andar superior. Lida ficava perto de Jope, e quando os discípulos ouviram falar que Pedro estava em Lida, mandaram-lhe dois homens dizer-lhe: "Não se demore em vir até nós". Pedro foi com eles e, quando chegou, foi levado para o quarto do andar superior. Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando-lhe os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando ainda estava com elas. Pedro mandou que todos saíssem do quarto; depois, ajoelhou-se e orou. Voltando-se para a mulher morta, disse: "Tabita, levante-se". Ela abriu os olhos e, vendo Pedro, sentou-se. Tomando-a pela mão, ajudou-a a pôr-se de pé. Então, chamando os santos e as viúvas, apresentou-a viva. Este fato se tornou conhecido em toda a cidade de Jope, e muitos creram no Senhor". (Atos 9.36-42 - NVI*)

O céu não queria Dorcas naquele momento, pois a Terra precisava daquele coração disposto e misericordioso ainda um pouco mais.

Dorcas com uma agulha e linha alcançava o coração do Pai. Não temos relato de que se tornou uma grande missionária, com dons espirituais, manifestações sobrenaturais, mas ela com sua habilidade dada por Deus tocou corações e supriu necessidades que aliviou fardos de vidas desnudas.

Qual é a sua habilidade, qual o seu dom, o que você pode fazer para tocar a vida de alguém, para que o céu recuse momentaneamente te receber e as pessoas chorem e clamem para que Deus não te leve, pois você é essencial para a vida e esperança dos necessitados!

Viva a vida de Dorcas e que o testemunho da vida dela seja o seu, contado e testemunhado para além desta vida, levado para a Vida Eterna!

Ore: Senhor Jesus me faça como sua serva Dorcas, abra os meus olhos e coração para usar a minha vida, as instruções que recebi, os dons que me concedeu, para o meu próximo, me incomode, me perturbe e me ajude. Em Nome de Jesus. Amém!

Texto: Vivian C.Thomazinho Vicente

*Tradução: Nova Versão Internacional