“E o galo cantou segunda vez. E Pedro lembrou-se da palavra que Jesus lhe tinha dito: Antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás. E, retirando-se dali, chorou”. (Marcos 14.72)

Os caminhos escusos que o homem da modernidade tem seguido, passos do Eu por Eu, horizontes assimétricos estampam realces de si mesmo, colocando de lado o oblíquo, o descontinuo e o erro. A modernidade não aceita, tropeços, erros e defeitos que não podem ser visto e sentidos, pois estes estão perdidos no caminho de condenação e juízos.

Dedos de continua acusação apontam sobre as eras, o desejo da perfeição humana é a constante rejeição ao desvio do erro.

Sobre estas linhas então me pergunto:

- Aonde podemos encontrar o perdão? Aonde podemos encontrar refúgio neste mundo acinzentado e exato?

A palavra de Deus (Bíblia) nos revela rastros deste labirinto de erros, falhas e culpas.

Rastros que leva o perdido ao consolo, o fraco a força e o marginalizado ao centro. A principal história contida nos 4 evangelhos é traição de Pedro a Cristo.

Pedro o principal Apóstolo, homem de fé, que posteriormente morrerá crucificado de cabeça para baixo, tem no início de sua carreira, uma traição.

Porque todos os evangelhos a retratam?

Para mostrar que em todos os momentos, em todos os erros, em todos sujeitos o erro pode ser concebido, mas em todas elas o amor gratuito de Deus está presente, para perdoar, restaurar e reedificar assim como Pedro.

Os passos de Pedro ao perdão caminham nos rastros do arrependimento, de não querer mais vivenciar a situação e mudar sua trajetória para caminho oposto. Oposto a si mesmo e aos desejos do mundo, da carne do eu, para vivenciar a vontade de Deus.

Pedro aceitou o medo, aceitou a possibilidade de ser preso e morto, por isso negou a Cristo. Muitas vezes somos especulados, tentados, atribulados ao desespero, ao erro. Mas o erro não é o fim, como a modernidade destaca. E sim possibilidade de um novo começo, como Pedro. Que apesar de tudo continuou, e usou de sua vida para suporte de muitos.

Assim sua vida é preciosa e importante não para o seu EU apenas, não para viver na ditadura da simetria, mas para Reinar Com Cristo no Reino do perdão e do renovo, para sim ser instrumento de muitos.

Ore: “Senhor me perdoe pelos meus erros e minhas falhas, desfaz minhas dores, minhas lembranças e minhas mágoas, para assim refazer meus passos segundo sua vontade. Em nome de Jesus, amém”.

Texto: Lucas Vicente.