"Eu também estava convencido de que deveria fazer todo o possível para me opor ao nome de Jesus, o Nazareno. E foi exatamente isso que fiz em Jerusalém. Com autorização dos chefes dos sacerdotes lancei muitos santos na prisão e, quando eles eram condenados à morte, eu dava o meu voto contra eles. Muitas vezes ia de uma sinagoga para outra a fim de castigá-los e tentava forçá-los a blasfemar. Em minha fúria contra eles, cheguei a ir a cidades estrangeiras para persegui-los. "Numa dessas viagens eu estava indo para Damasco, com autorização e permissão dos chefes dos sacerdotes. Por volta do meio-dia, ó rei, estando eu a caminho, vi uma luz do céu, mais resplandecente que o sol, brilhando ao meu redor e ao redor dos que iam comigo. Todos caímos por terra. Então ouvi uma voz que me dizia em aramaico: 'Saulo, Saulo, por que você está me perseguindo? Resistir ao aguilhão só lhe trará dor!' "Então perguntei: Quem és tu, Senhor? "Respondeu o Senhor: 'Sou Jesus, a quem você está perseguindo. Agora, levante-se, fique em pé. Eu apareci para constituí-lo servo e testemunha do que você viu a meu respeito e do que lhe mostrarei. Eu o livrarei do seu próprio povo e dos gentios, aos quais eu o envio para abrir-lhes os olhos e convertê-los das trevas para a luz, e do poder de Satanás para Deus, a fim de que recebam o perdão dos pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim'. (Atos 26. 9-18)

4. Quebrantamento

Paulo ao relatar sobre sua conversão, nos faz repensar será que realmente estamos dispostos a mudar toda a gerência de nossa vida para o Governo de Deus. Não apenas, no quesito o que Paulo teve que abandonar, e sim do que teve que ouvir, modificar suas práticas integrais de vida, tendo um coração quebrantado, pronto a se remodelar por dentro. Pois é deste tipo de coração que Deus, nunca rejeita. (Sl.51.17). Será que estamos dispostos a ouvir? Reavaliar? Mudar? Ou teremos o coração como de Faraó, endurecido; ou do povo no Deserto de dura cerviz? Por isso, sempre importante reforçarmos, o ato de arrepender, mudar, ter erros, ninguém é “supercrente”, sempre temos o que lutar, o que modificar, o que vencer, como Paulo, em sua lista de dificuldades, em que fazia ser “Mais que Vencedor” (Rm 8.33-37).

Texto: Lucas Guimarães Vicente.