Back to Top

Novo Logo Mensagem Diaria

Túnel Do Tempo - Graça Universal

Publicado: Quarta, 06 Março 2019 11:00

 

A graça preveniente se manifestou exteriormente claramente em três dimensões da história, a criação, no perdão de Deus ao Homem, no envio de Cristo e na regeneração do homem, mediante a ação do Espírito Santo. Devido a isso, Wesley e como Paulo, (Rm 2.14 – 15) acreditam na existência de uma consciência natural do homem: “Quer [a  consciência] seja natural ou acompanhada pela graça de Deus, ela é encontrada, pelo menos até certo ponto, em todos os filhos dos homens [...] não apenas em todo cristão, mas, em todos os momentos, todos os pagãos, até mesmo o mais vil dos selvagens”[1]. Uma vez que, observamos um traço em sua cultura, pelos preceitos das leis, que revogam parcialmente a moral mosaica[2].  

Outro exemplo claro da Graça preveniente é aquilo que Wesley afirma “Todo mundo tem [...] bons desejos, embora a maioria ao sufoque antes que possa lançar as raízes profundas ou produzir frutos consideráveis”[3].

Já que Tiago afirma: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há oscilação como se vê nas nuvens inconstantes”. (Tiago 1.17). Como o exemplo da Bíblia do Centurião e de Cornélio e até o discurso de Jesus, dos não hebreus que foram curados em Nazaré. (Lc. 4.23 – 27). Demonstrando que o bem é realizado em conjunto com a ação humana, não só de Deus, mas ela vem de Deus.  

Por isso, que Wesley afirma “[...] Muito menos tirou sua liberdade, teu poder de escolher o bem ou mal, ele não te forçou mas, assistido pela sua graça, tu assim, como Maria, escolhestes a melhor parte. (Lc 10. 41 e 42). Wesley empenhado em perseverar tanto a liberdade divina, quanto humana no processo de Graça preveniente exemplificar este processo:

“[...] Deus vem ao seu encontro talvez por um sermão, ou uma conversa que desperta, talvez uma terrível providência; ou pode ser por meio de um toque imediato do seu Espírito esclarecedor, absolutamente sem nenhum meio externo”[4].

Texto: Lucas Guimarães Vicente. 

[1] Sermão 129. Heavenly treasure in earthen vessels. 4:163.

[2] RUYNAN, Theodore. op. cit. p. 50.

[3] Sermão. Sobre a realização da nossa própria salvação. 1: 511 – 513.

[4] Sermão 16. Meios de Graça.1: 339.

Especial Carnaval: Obras Da Carne

Publicado: Sábado, 02 Março 2019 03:00

"17 Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis. 19 Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, 20 a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, 21 as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus". (Gálatas 5.17; 19-21 - ARA*) 

Em Romanos 13:14, o apóstolo diz: "Nada disponhais para a carne"; assim, não devemos alimentar a carne com o que lhe dá prazer. Não há bem algum na carne (Rm 7:18), de modo que nunca devemos confiar nela (Fp 3:3). A carne está sujeita à Lei de Deus (Rm 8:7) e não pode agradar a Deus (Rm 8:8). Somente por meio do Espírito Santo é que podemos "mortificar" os feitos que a carne usaria nosso corpo para realizar (Rm 8:13). Para isso devemos entender quais são os fundamentos da obra da carne: (As definições, foram retirados das palavras no original do grego, conferir ao fim do texto, referências).

a. Sexual: Prostituição: relações sexuais ilícitas, adultério, fornicação, homossexualismo e pedofilia. Impureza:  no sentido moral: impureza proveniente de desejos sexuais, luxuria, vida devassa. Mediante a pornografia e valores distorcidos do mundo. Lascívia:  luxúria desenfreada, excesso, licenciosidade, lascívia, libertinagem.

b. Supersticiosos: Idolatria: adoração a deuses falsos, idolatria, da cobiça, como adoração a Mamom e tudo que se coloca no lugar de Deus. (aquele que supri, da esperança e fundamento de nossas vidas). Feitiçaria: Uso ou administração de drogas para se contatar aos seus deuses, no caso de hoje o prazer, feitiçaria, artes mágicas.

c. Pecados sociais: Inimizades:  o mesmo que "ódio", atitude mental que provoca e afronta outras pessoas, como um preconceito. Porfias: contenda, disputa, discussão. Ciúmes: Disposição de suspeitar da fidelidade da pessoa amada. Esse tipo de ciúme é doentio e só faz mal. Iras: As iras são acessos de raiva. Discórdias:  aparentemente, no NT uma distinção requerida, um desejo de colocar-se acima, um espírito partidário. Dissenção: Divisão. Facção: seita, heresias, oriundas de líderes da igreja que promovem a si mesmos e que insistem que as pessoas os sigam em lugar de seguirem ao Senhor (o termo heresia, em grego, significa "fazer uma escolha”).

d. Hedonistas: Invejas:  indicam rancores e o desejo profundo de ter aquilo que outros têm. Bebedices: Intoxicação e embriaguez. Glutonarias: Orgias, Farras, excesso em comer ou beber.

Ore: "Senhor nos ajude a abandonarmos as obras da carne, nos ajude a todos dias nascermos de novo, da água e do espírito, para assim vivermos segundo a cultura do alto e não a terrena. Pedimos em nome de Jesus. Amém".

Texto: Lucas Vicente. 

* Tradução: ARA - Almeida Revista Atualizada.

Referências:

ANDRADE, Claudionor C. Dicionário Teológico. Rio de Janeiro; CPAD. 1998.

KASCHEL, Werner. ZIMMER, R. Dicionário da Bílbia de Almeida.Rio de Janeiro; 2 Edição. SBB. 1999. 

STRONG, James. Dicionário Bílbico Strong: Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento. Volume 1, São Paulo; Editora Geográfico, 2007.

Criar O Hábito De Ler A Bíblia

Publicado: Terça, 29 Janeiro 2019 08:19

"A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices." (Salmo 19.7)

Neste mundo da pós-modernidade, as pessoas procuram por um alívio, por sabedoria de como lidar com as situações adversas que temos vivido. Se você pesquisar na internet, encontrará receita para tudo, como curar isso, como restaurar aquilo, como ser mais sábio, como trazer paz e restauração para sua alma...

Buscamos uma solução para este mundo perdido e nossas almas sedentas, no entanto, elas poderão até nos dar uma impressão inicial de que superamos isso ou aquilo...mas depois de um tempo tudo volta como era antes. Por que isso acontece?

Simples, não existe mágica, precisamos nos esforçar diariamente para superar os desafios, pois a cada dia eles serão novos e mais desafiadores. Na verdade estamos em busca de satisfação, prazer, alegria, oferecer alívio para a carne, mas a alma continua sedenta e arruinada.

O que pode restaurar a nossa alma é a palavra de Deus, ela é um bálsamo diário para nós, mas precisamos criar este hábito. Como criar um hábito? Vamos ver 5 maneiras científicas de criar um hábito:

1. Grandes metas, pequenos passos

Ciotti sugere, citando um artigo publicado em 2006 no Journal of Personality and Social Psychology, que você tenha objetivos grandes, “abstratos” (como “ter inglês fluente” ou “ser um excelente goleiro”), contrabalanceados por passos pequenos (ou, nas palavras dele, “pequenas cotas” a serem preenchidas).

“Suas ‘metas’ devem ser os grandes objetivos que você deseja alcançar algum dia, e as suas ‘cotas’ são o mínimo de trabalho que deve ser feito diariamente para ajudar os grandes objetivos a se tornarem realidade”. 

Sendo assim, inicie um plano de leitura da Bíblia hoje mesmo, comece aos poucos, mas planeje metas e objetivos, você verá uma mudança interior e exterior em sua vida diária.

Texto: Vivian Cristina Thomazinho Vicente.

Atos Dos Apóstolos - Parte IV

Publicado: Sexta, 18 Janeiro 2019 08:19

"Então Agripa disse a Paulo: "Você tem permissão para falar em sua defesa". A seguir, Paulo fez sinal com a mão e começou a sua defesa: "Rei Agripa, considero-me feliz por poder estar hoje em tua presença, para fazer a minha defesa contra todas as acusações dos judeus, e especialmente porque estás bem familiarizado com todos os costumes e controvérsias deles. Portanto, peço que me ouças pacientemente." (Atos 26.1-3)

3. Defesa de Paulo Diante Agripa II – Atos 26

A. Introdução:

Com o Pedido de Paulo a César, Festo, tem um grande problema, que tem enviar um condenado a Nero, ser saber, o porquê? Em qual acusação, podendo diminui-lo aos olhos do Imperador. Assim a visita de Agripa II, era uma prática comum, do Rei da Judeia, para nova autoridade romana na região, o ideal ter bom relacionamento, para garantir seu poder. Assim, o caso de Paulo, demonstra uma maneira dos dois poderes agirem juntos, estreitar laços. Por isso, Agripa II aceita avaliar o caso de Paulo, e ao mesmo tempo, seria interessante para Festo, que uma pessoa de conhecimento das tradições judaicas, pudesse dar um apontamento para azer corpo de acusação a Paulo.

Agripa II é o último da dinastia Herodes a governar a Judeia, sendo bisneto (Herodes, o grande). Vivia incestuosamente com sua irmã Berenice, que posteriormente será amante, do Imperador Tito Vespasiano (o mesmo que destruiu Jerusalém, e abrigou Josefo), e fez de tudo para faze-la sua imperatriz, sem sucesso, obviamente pela sua origem judia.

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

 

Atos Dos Apóstolos - Parte VII

Publicado: Segunda, 04 Fevereiro 2019 07:53

5. Loucura: 24

A interrupção de Festo, não era porque Paulo era um louco, uma vez que sua defesa tinha um raciocínio bastante claro, longe de qualquer demência, e nem muito menos sua ortodoxia religiosa, fazia parecer um lunático religioso. Todavia, por questão cultural, já que a premissa de seu discurso era ressureição, algo que a cultura greco-romana não entedia, por entenderem que alma seria eterna. Devido a isso, Festo não aguentou muito o discurso de Paulo.

Resposta de Agripa II: 26-32.

Paulo usa de sofismo ao Rei Agripa, pois ao provar conteúdo teológico da ressureição, deveria acreditar no Messias, sendo Cristo, caso negasse o conteúdo teológico da ressureição presente nos profetas, acabava indo contra os Fariseus, se aceita vai contra liderança sacerdotal e saduceia, que não acreditava em ressureição e muito menos tinha qualquer apreço por Paulo. A única resposta, é a resposta sofística “quer me converter”, saindo do assunto, contudo, deixando sem palavras sobre assunto e acabando a reforçar que não havia qualquer fundamento de acusação a Paulo. Algo que provavelmente seria escrito no relatório de Festo, para tentar se colocar em “bons lençóis” com o Imperador. Além da carta de Lucas, a Teófilo que aponta diversos relatos de pessoas ilustres a favor a defesa de Paulo: At. 16.35-40;18.12-17;23-29 e 25.20.

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Atos Dos Apóstolos - Parte VI

Publicado: Sábado, 26 Janeiro 2019 08:56

"Eu também estava convencido de que deveria fazer todo o possível para me opor ao nome de Jesus, o Nazareno. E foi exatamente isso que fiz em Jerusalém. Com autorização dos chefes dos sacerdotes lancei muitos santos na prisão e, quando eles eram condenados à morte, eu dava o meu voto contra eles. Muitas vezes ia de uma sinagoga para outra a fim de castigá-los e tentava forçá-los a blasfemar. Em minha fúria contra eles, cheguei a ir a cidades estrangeiras para persegui-los. "Numa dessas viagens eu estava indo para Damasco, com autorização e permissão dos chefes dos sacerdotes. Por volta do meio-dia, ó rei, estando eu a caminho, vi uma luz do céu, mais resplandecente que o sol, brilhando ao meu redor e ao redor dos que iam comigo. Todos caímos por terra. Então ouvi uma voz que me dizia em aramaico: 'Saulo, Saulo, por que você está me perseguindo? Resistir ao aguilhão só lhe trará dor!' "Então perguntei: Quem és tu, Senhor? "Respondeu o Senhor: 'Sou Jesus, a quem você está perseguindo. Agora, levante-se, fique em pé. Eu apareci para constituí-lo servo e testemunha do que você viu a meu respeito e do que lhe mostrarei. Eu o livrarei do seu próprio povo e dos gentios, aos quais eu o envio para abrir-lhes os olhos e convertê-los das trevas para a luz, e do poder de Satanás para Deus, a fim de que recebam o perdão dos pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim'. (Atos 26. 9-18)

4. Quebrantamento

Paulo ao relatar sobre sua conversão, nos faz repensar será que realmente estamos dispostos a mudar toda a gerência de nossa vida para o Governo de Deus. Não apenas, no quesito o que Paulo teve que abandonar, e sim do que teve que ouvir, modificar suas práticas integrais de vida, tendo um coração quebrantado, pronto a se remodelar por dentro. Pois é deste tipo de coração que Deus, nunca rejeita. (Sl.51.17). Será que estamos dispostos a ouvir? Reavaliar? Mudar? Ou teremos o coração como de Faraó, endurecido; ou do povo no Deserto de dura cerviz? Por isso, sempre importante reforçarmos, o ato de arrepender, mudar, ter erros, ninguém é “supercrente”, sempre temos o que lutar, o que modificar, o que vencer, como Paulo, em sua lista de dificuldades, em que fazia ser “Mais que Vencedor” (Rm 8.33-37).

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Atos Dos Apóstolos - Parte III

Publicado: Terça, 15 Janeiro 2019 03:00

"Então Paulo fez sua defesa: "Nada fiz de errado contra a lei dos judeus, contra o templo ou contra César". Festo, querendo prestar um favor aos judeus, perguntou a Paulo: "Você está disposto a ir a Jerusalém e ali ser julgado diante de mim, acerca destas acusações?" Paulo respondeu: "Estou agora diante do tribunal de César, onde devo ser julgado. Não fiz nenhum mal aos judeus, como bem sabes. Se, de fato, sou culpado de ter feito algo que mereça pena de morte, não me recuso a morrer. Mas, se as acusações feitas contra mim por estes judeus não são verdadeiras, ninguém tem o direito de me entregar a eles. Apelo para César!" Depois de ter consultado seus conselheiros, Festo declarou: "Você apelou para César, para César irá!" (Atos 25.8-12)

2. Jerusalém e a Providência: 8-12 (...continuação)

Então, a providência atua num ato sinergético, sua ação geral, que sempre será realizada, como saída do Povo do Egito, Nascimento e Morte de Jesus... e a específica, de cada nação ou indivíduo, que podem compactuar e ser um agente de Deus para cumprir o seu propósito, ou não, liberdade do homem nunca retirada. Como Cristo indica em Mateus 22.14 “Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos”. E Como Wesley retifica dizendo, se não tivéssemos escolha, primeiro qual seria a nossa diferença para um pedação de carvão, e segundo, Deus seria algo pior que o próprio Diabo, pois escolhe apenas alguns para serem salvos, e se diverte com o resto, ouvindo e vendo seu sofrimento. Não sendo mais justo, já que não importa quem escolhe, não será merecedor de sua Graça, ainda mais daria toques horripilantes a sua imagem, quando faz Jeremias profetizar por 40 anos arrependimento em Jerusalém, qual nunca poderia ter mudado seu curso, sendo assim, o esforço do profeta era apenas um instrumento de divertimento. Ou ainda mais, o choro de Jesus ao ver Jerusalém, seria de lágrimas de crocodilo, mais de ridicularização da humanidade.

Em suma, a Providência, atua de forma sinergética, dando espaço para nossa liberdade, sendo assim, é muito importante escrevermos sobre como a providência tem atuado em nossa vida, família, para reforça em nossas mentes sua atuação. E segundo reatemos a importância fundamental de buscar em Deus o nosso propósito, trilhando as palavras de Paulos aos Efésios 1.17-19, para transportamos o governo de Deus em nossa Terra.

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Pagina 2 de 71

sombra1

Copyright © 2011-2019 - Mensagem Diária logosg