Back to Top

Novo Logo Mensagem Diaria

Um Chamado Para A Inclusão Da Criança No Espaço Da Celebração Cúltica Da Comunidade Cristã - Introdução (Parte I)

Publicado: Terça, 04 Junho 2019 07:43

A atualidade cristã protestante das igrejas brasileiras tem se esforçado para responder às demandas da sociedade, e o que temos visto são pais estressados que vão aos cultos e querem ter um momento de paz. Assim, entregam seus filhos para uma “creche espiritual” que são os locais chamados de “cultinho infantil”, onde as crianças têm um espaço de “entretenimento”, em que homens e mulheres se esforçam para mantê-las quietas.

Ao mesmo tempo, não se pode desmerecer o trabalho e a seriedade com que muitas pessoas e igrejas estão desempenhando em seus ministérios para um crescimento saudável espiritual para as crianças que lhes são confiadas. Entretanto, é preciso repensar este conceito, no qual nossos filhos e filhas estão inseridos e onde são ensinados.

A dificuldade está verdadeiramente no sossego que os pais e os adultos querem ter ao entregarem seus filhos durante as poucas horas semanais que as famílias estão passando na igreja?
Será que o problema está mesmo em querer ter paz nesses breves momentos destinados para adoração e reflexão, a mais ininterrupta possível, de uma celebração cúltica?
Ou o agravo está na maneira que a educação acontece em casa, ou na atitude como é pensada e preparada a prédica pastoral e a liturgia cúltica para e pelas famílias, e especialmente às crianças?

Texto: Vivian Cristina Thomazinho Vicente. (Trabalho de Conclusão de Curso Bacharel Teologia)

Túnel Do Tempo - Almas Congeladas

Publicado: Quarta, 22 Maio 2019 03:00

"Enquanto escondi os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer. Pois de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; minha força foi se esgotando como em tempo de seca. Pausa. Então reconheci diante de ti o meu pecado e não encobri as minhas culpas. Eu disse: "Confessarei as minhas transgressões ao Senhor", e tu perdoaste a culpa do meu pecado." (Salmos 32.3-5 – NVI*) 

Quanto tempo temos vagado, sem saber o rumo a seguir, se é dia ou noite, nossa vida se arrasta e nosso interior constantemente se desmorona, ficamos perdidos nas dores, erros, magoas e medos. Caminhando como em um dia congelado, uma alma congelada, que não sente e não vive. 

Vivemos um tempo onde aparência é tudo, um tempo onde sentimentos são fraquezas, temos que demonstrar que vivemos uma vida alucinada de felicidade e beleza, para assim se formar o corolário da vida tecida em frações de fotos, imagens distorcidas do que somos.

Programados a sorrir, a viver sem pensar, passamos nossas vidas morrendo por dentro, assumindo tudo sem dividir com ninguém além de nós mesmos. Davi mostra um sentimento congruente a esta ideia, ele era o Rei, era a imagem para todos, como tal não podia ter dores, medos e muito menos erros, por isso calou seu lábios para o que vivia. Ele destruiu de tal maneira o seu interior que seus ossos doíam.

Nossa vida pode parecer uma imensidão contínua de dor, um maldito sonho que não despertamos. Nesta rima não sabemos quem somos, nem para onde vamos. Vivemos uma vida apenas de sobrevivência, dentro de nossas pálidas máscaras.

No entanto Deus nos espera, nos chama, a entregar o que resta de nós a Ele, parece uma frase clichê colada num adesivo, mas é mais do que isso, pois confessar, gritar, chorar, nos acorda deste sonho maldito, deste fingimento e quebra nossas máscaras e nos traz uma realidade de uma vida para além da sobrevivência.

Nos permiti expugnar todos males e entender que é Cristo, Ele é a riqueza de nossa esperança, ainda que sombras da morte tentam corroer nosso coração, direcionamos nosso olhar e nossa voz para quem realmente importa e pode mudar nossa vida e nossa face.

Texto: Lucas Vicente.

* Tradução: Nova Versão Internacional.

Túnel Do Tempo - Desaparecendo

Publicado: Quarta, 24 Abril 2019 03:00

“O qual nos libertou do Império das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor”. (Colossenses 1.13)

Quanto tempo faz que vivemos uma vida sem anseios e desejos, que não se resume a um produto, um objeto de apego momentâneo e passageiro. Que se desfaz após o êxito de sua compra.

A vida contemporânea, nos leva a viver de forma acelerada e continua. Trabalhar, trabalhar, produzir, produzir, vender, vender... O que sobra de nós?

Será que ainda nos reconhecemos na frente de um espelho? 

Ou vemos uma imagem retorcida que o sistema, o mundo, fez a você? Nutrindo de toda virtude para desfazermos, em pequenas partes até não sobrar nada de nossas imagens.

A única coisa que pode nos acordar deste sono, é entendermos que não podemos ser livres deste sonho pelas nossas próprias forças. Mas somente em Cristo, que em seu sacrifício nos libertou do Império das Trevas, mas não apenas da condenação, mas sim de toda escravidão.

Nos fez livres para realizarmos nosso propósito, nossos sonhos em Cristo. Para isso devemos viver acordados nesta sociedade da “Terra do Nunca”.

Acorde todos os dias buscando em Deus seus sonhos e propósitos, para então viver uma vida não em partes e sim completa.

Ore: “Senhor abre os olhos de meu coração para revelar minha essência, meu verdadeiro propósito de vida, para não viver uma vida sem sentido, mas verdadeira e eterna, em nome de Jesus, amém”.

                                                                                                                                             Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Túnel Do Tempo - Graça Universal

Publicado: Quarta, 06 Março 2019 11:00

 

A graça preveniente se manifestou exteriormente claramente em três dimensões da história, a criação, no perdão de Deus ao Homem, no envio de Cristo e na regeneração do homem, mediante a ação do Espírito Santo. Devido a isso, Wesley e como Paulo, (Rm 2.14 – 15) acreditam na existência de uma consciência natural do homem: “Quer [a  consciência] seja natural ou acompanhada pela graça de Deus, ela é encontrada, pelo menos até certo ponto, em todos os filhos dos homens [...] não apenas em todo cristão, mas, em todos os momentos, todos os pagãos, até mesmo o mais vil dos selvagens”[1]. Uma vez que, observamos um traço em sua cultura, pelos preceitos das leis, que revogam parcialmente a moral mosaica[2].  

Outro exemplo claro da Graça preveniente é aquilo que Wesley afirma “Todo mundo tem [...] bons desejos, embora a maioria ao sufoque antes que possa lançar as raízes profundas ou produzir frutos consideráveis”[3].

Já que Tiago afirma: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há oscilação como se vê nas nuvens inconstantes”. (Tiago 1.17). Como o exemplo da Bíblia do Centurião e de Cornélio e até o discurso de Jesus, dos não hebreus que foram curados em Nazaré. (Lc. 4.23 – 27). Demonstrando que o bem é realizado em conjunto com a ação humana, não só de Deus, mas ela vem de Deus.  

Por isso, que Wesley afirma “[...] Muito menos tirou sua liberdade, teu poder de escolher o bem ou mal, ele não te forçou mas, assistido pela sua graça, tu assim, como Maria, escolhestes a melhor parte. (Lc 10. 41 e 42). Wesley empenhado em perseverar tanto a liberdade divina, quanto humana no processo de Graça preveniente exemplificar este processo:

“[...] Deus vem ao seu encontro talvez por um sermão, ou uma conversa que desperta, talvez uma terrível providência; ou pode ser por meio de um toque imediato do seu Espírito esclarecedor, absolutamente sem nenhum meio externo”[4].

Texto: Lucas Guimarães Vicente. 

[1] Sermão 129. Heavenly treasure in earthen vessels. 4:163.

[2] RUYNAN, Theodore. op. cit. p. 50.

[3] Sermão. Sobre a realização da nossa própria salvação. 1: 511 – 513.

[4] Sermão 16. Meios de Graça.1: 339.

Túnel Do Tempo - De Á César O Que É De César

Publicado: Quarta, 08 Maio 2019 03:00

“Responderam: De César. Então, lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. (Mateus 22.21 - ARA)

“ [...] Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Simão, que te parece? De quem cobram os reis da terra impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos? Respondendo Pedro: Dos estranhos, Jesus lhe disse: Logo, estão isentos os filhos.  Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, e o primeiro peixe que fisgar, tira-o; e, abrindo-lhe a boca, acharás um estáter. Toma-o e entrega-lhes por mim e por ti”. ( Mateus 17. 25 - 27 - ARA)

A vida cristã não é dividida como alguns acham entre sagrado e secular, onde no secular você deve agir conforme o mercado e no sagrado conforme a palavra de Deus. No  modelo de Reino de Deus de Jesus Cristo, pois o reino abrange todas as facetas da vida individual.

Sendo assim o Reino não é um Estado como achavam os saduceus e fariseus, nem só a igreja, como acreditam alguns, o Reino está vinculado no próprio homem, como Cristo fala na passagem de Lucas.

“Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós”. (Lucas 17.21 – ARA).

Então o Reino está vinculado em todas as áreas do homem, desde do trabalho ao lazer, desde da vida ministerial a vida social, ela abrange tudo.  Portanto nossas vocações não estão reunidas apenas na vida ministerial, quando um pastor pratica sua vocação ele louva a Deus, assim como o médico, advogado e professor, pois, cada um cumpriu sua vocação.

Uma vez que todos praticaram os valores do Reino, assim trazem para dentro de nossa sociedade o Reino de Deus.

O reino é construído neste mundo material por nossas práticas que o retrate, por isso quando Cristo ao ser indagado se deveria pagar imposto, por duas vezes ele responde que sim. Mesmo que fosse abusivo e errôneo, como era, já que no tempo de Jesus haviam diversos impostos, como o de César, como do Templo e a décima parte de todos os produtos que produzissem e as ofertas. Mas o que importa para Cristo são as práticas.

Quando pagamos os impostos não quer dizer que estamos concordando com isso, mas estamos reconhecendo duas coisas: a primeira que devemos expressar o Reino de Deus com nossas atitudes dando o exemplo e respeitando as leis dos homens. E segundo reconhecendo que em Deus  temos o nosso sustento e a nossa esperança  de mudança deste mundo tenebroso, e não em nossas forças ou saídas ludibriosas.

Assim entendemos que devemos dar a César o que de é César e a Deus o que é de Deus, não num sentido de dois mundos, secular e o sagrado, mas que somos farol e luz tanto no que damos para César como no que damos para Deus, somos o mesmo, não há variação de mudança, e não há espaços para sombras, mas só para luz.

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

*Almeida Revista e Atualizada.

Túnel Do Tempo - Tome Seu Cálice

Publicado: Quarta, 27 Março 2019 08:25

“Em beneficio deles Eu me consagro para igualmente eles sejam consagrados pela verdade. Para que todos sejam um, com Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que mundo creia que Tu me enviaste”  (João 17.19 e 21 – KJA[1])

Como Cristo se santificou, serviu e se entregou para que houvesse em nós vida e assim sermos um com o Pai e transpormos este Reino de Deus na Terra, assim também fomos chamados, mas será que estamos prontos para seguir o mesmo caminho, de renúncia?

Hoje, agora, neste instante, Ele te chama a parar, pare, pare de viver para você, para o seu bem estar e para o seu querer. Não foi para isso que Ele o criou e o chamou, mas para que sua vida seja como a Dele, um instrumento para gerar vida a muitos.

Então esteja pronto para tomar o cálice, seja o primeiro a servir, a renunciar e a passar tempos e tempos orando, visitando, ouvindo e ajudando. O que nos espera?.

Cristo disse: “ ... De fato a colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos. Por isso , orai ao Senhor da seara e pedi que Ele mande mais trabalhadores para a sua colheita”.(Mateus 9.37 e 38– KJA[2]).

Basta nós colhermos, seguirmos os Seus passos e espalharmos o Seu amor.

Por isso tome neste momento o  seu cálice e faça a oração, entendendo que ainda que seja duro e difícil, lembrasse que o Espirito de Deus esta com você para te capacitar em toda boa obra e caminho, então não temas, apenas tome o seu cálice e ore:

“Senhor, me ajude a viver segundo os Seus caminhos e vontades para mim,  a tomar Seu cálice, para ser um instrumento na vida de muitos, oro em nome de Jesus, amém”.

Texto: Lucas Guimarães Vicente.


[1] KJA =King James Atualizada.

[2] Idem.

Especial Carnaval: Obras Da Carne

Publicado: Sábado, 02 Março 2019 03:00

"17 Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis. 19 Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, 20 a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, 21 as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus". (Gálatas 5.17; 19-21 - ARA*) 

Em Romanos 13:14, o apóstolo diz: "Nada disponhais para a carne"; assim, não devemos alimentar a carne com o que lhe dá prazer. Não há bem algum na carne (Rm 7:18), de modo que nunca devemos confiar nela (Fp 3:3). A carne está sujeita à Lei de Deus (Rm 8:7) e não pode agradar a Deus (Rm 8:8). Somente por meio do Espírito Santo é que podemos "mortificar" os feitos que a carne usaria nosso corpo para realizar (Rm 8:13). Para isso devemos entender quais são os fundamentos da obra da carne: (As definições, foram retirados das palavras no original do grego, conferir ao fim do texto, referências).

a. Sexual: Prostituição: relações sexuais ilícitas, adultério, fornicação, homossexualismo e pedofilia. Impureza:  no sentido moral: impureza proveniente de desejos sexuais, luxuria, vida devassa. Mediante a pornografia e valores distorcidos do mundo. Lascívia:  luxúria desenfreada, excesso, licenciosidade, lascívia, libertinagem.

b. Supersticiosos: Idolatria: adoração a deuses falsos, idolatria, da cobiça, como adoração a Mamom e tudo que se coloca no lugar de Deus. (aquele que supri, da esperança e fundamento de nossas vidas). Feitiçaria: Uso ou administração de drogas para se contatar aos seus deuses, no caso de hoje o prazer, feitiçaria, artes mágicas.

c. Pecados sociais: Inimizades:  o mesmo que "ódio", atitude mental que provoca e afronta outras pessoas, como um preconceito. Porfias: contenda, disputa, discussão. Ciúmes: Disposição de suspeitar da fidelidade da pessoa amada. Esse tipo de ciúme é doentio e só faz mal. Iras: As iras são acessos de raiva. Discórdias:  aparentemente, no NT uma distinção requerida, um desejo de colocar-se acima, um espírito partidário. Dissenção: Divisão. Facção: seita, heresias, oriundas de líderes da igreja que promovem a si mesmos e que insistem que as pessoas os sigam em lugar de seguirem ao Senhor (o termo heresia, em grego, significa "fazer uma escolha”).

d. Hedonistas: Invejas:  indicam rancores e o desejo profundo de ter aquilo que outros têm. Bebedices: Intoxicação e embriaguez. Glutonarias: Orgias, Farras, excesso em comer ou beber.

Ore: "Senhor nos ajude a abandonarmos as obras da carne, nos ajude a todos dias nascermos de novo, da água e do espírito, para assim vivermos segundo a cultura do alto e não a terrena. Pedimos em nome de Jesus. Amém".

Texto: Lucas Vicente. 

* Tradução: ARA - Almeida Revista Atualizada.

Referências:

ANDRADE, Claudionor C. Dicionário Teológico. Rio de Janeiro; CPAD. 1998.

KASCHEL, Werner. ZIMMER, R. Dicionário da Bílbia de Almeida.Rio de Janeiro; 2 Edição. SBB. 1999. 

STRONG, James. Dicionário Bílbico Strong: Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento. Volume 1, São Paulo; Editora Geográfico, 2007.

Pagina 1 de 71

sombra1

Copyright © 2011-2019 - Mensagem Diária logosg