Back to Top

Novo Logo Mensagem Diaria

O Homem Da Reforma - Parte Final (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Segunda, 11 Dezembro 2017 06:03

Antropologia da Reforma anglicana

John Wesley falou sobre três tipos de homens (WESLEY, 2012):​

  • O natural – Apartado de Deus, considera apenas a realidade natural. (Romanos 1:21-23)​
  • O escravo – O que está sujeito ao medo ou a fé legalista.​
  • O agraciado – O que foi alvo de Graça de Deus e sua consciência disto o faz se submeter, integralmente, a Ele.

"Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens." (Tito 2:11 - NVI*)

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina." (Provérbios 1:7 - NVI*)

Não perca a próxima mensagem, no dia 15/12/2017!

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

WESLEY, John. O sermão do monte. – São Paulo. Editora Vida, 2012.

O Homem Da Reforma - Parte IV (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Sexta, 08 Dezembro 2017 07:22

Antropologia da Reforma Protestante

  • Lutero sofreu uma influência muito grande de Guilherme de Ockham. Herman Dooyeweerd afirmou: “Lutero, o grande reformador, estivera sob a influência do círculo de Ockham durante sua permanência no mosteiro de Erfurt. Ele mesmo declarou: ‘Sou da escola de Ockham’. Sob a influência de Ockham, o motivo religioso básico da natureza e da graça continuou a permear a vida e o pensamento de Lutero.” (DOOYEWEERD, 2015)​

  • O hiato criado por Ockham entre natureza e Graça, que era refletido na dicotomia entre vida secular e vida cristã, em Lutero se refletiu no dualismo Lei e evangelho e também na interação do cristão com a cultura secular. Vemos, então, que a antropologia de Lutero não era integralmente submissa à Cristo, mas apenas sua religiosidade, já que o corpo era a matéria má, pecaminosa.

  • João Calvino rompeu com esta antropologia e apregoou o retorno à integralidade do homem submissa a Cristo. A depravação humana foi total. Sua restauração, mediante a cruz de Cristo, também será total. Afirmou: “O verdadeiro conhecimento do homem é completamente dependente do conhecimento de Deus”. Antropologia integralmente apegada a Deus, encarnado no homem Jesus Cristo (I Timóteo 2:5).​

  • “Chamo piedade à reverência associada com o amor de Deus que nos faculta o conhecimento de seus benefícios. Pois até que os homens sintam que tudo devem a Deus, que são assistidos por seu paternal cuidado, que Ele é o autor de todas as coisas boas, daí nada se deve buscar fora dele, jamais se lhe sujeitarão em obediência voluntária. Mais ainda: a não ser que ponham nele sua plena felicidade, verdadeiramente e de coração nunca se lhe renderão por inteiro”. (CALVINO, 2008)

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina." (Provérbios 1:7 - NVI*)

Não perca a próxima mensagem, no dia 11/12/2017!

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

O Homem Da Reforma - Parte II (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Sexta, 01 Dezembro 2017 03:00

Antropologia Judaico-cristã

  • Gênesis 1:27 – 2:15: O homem foi criado à imagem (tselem) e semelhança (demuth) de Deus para desenvolver cultura. ​
  • Os dois momentos da criação do homem – Gênesis 1:28. Tríade cultivo-culto-cultura. O homem está integralmente sob o governo de Deus (Dez mandamentos). I Coríntios 10:31.​

  • Cristo se encarnou como modelo antropológico (João 1:14, Colossenses 1:15). Antropologia conformada à Cristo (Romanos 8:29).​

Antropologia “medieval”

Escolástica: ​

  • A dialética natureza-graça – Antropologia como resultado desta síntese. O homem é, de certa forma, “livre” para ser e viver, desde que não contrarie a teologia estabelecida pela Igreja. Razão autônoma.​

  •  Não será mais Cristo, através das Escrituras, o fundamento antropológico. Mas a natureza humana vista pelas lentes do pensamento aristotélico. ​

  • O homem não está mais integralmente debaixo do governo de Deus. O corpo e a alma estarão sob o governo das leis naturais, estudadas pela filosofia; e apenas seu interior (coração ou espírito) estará sob o governo da teologia cristã, dada pela Igreja.​

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina." (Provérbios 1:7 - NVI*)

Não perca a próxima mensagem, no dia 04/12/2017!

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

O Homem Da Reforma - Parte I (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Segunda, 27 Novembro 2017 08:16

Introdução

  • “Formou Deus o homem do pó-da-terra, soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente”. (Gênesis 2:7).​
  • “... quem é o próprio homem, e qual sua origem e destino final? Fora da revelação bíblica central da criação, queda no pecado e redenção por meio de Jesus Cristo, nenhuma resposta pode ser dada para essa questão”. (DOOYEWEERD,2010)​

Para falar do homem da Reforma, temos que fazer uma breve análise da antropologia dos movimentos histórico-culturais anteriores que influenciaram a Reforma Protestante.​

  • Antropologia Judaico-cristã ​
  • Antropologia cristã medieval – Escolasticismo e nominalismo​
  • Antropologia Renascentista​
  • Antropologia da Reforma Protestante​

Antropologia Judaico-cristã

  • Gênesis 1:27 – 2:15: O homem foi criado à imagem (tselem) e semelhança (demuth) de Deus para desenvolver cultura. ​
  • Os dois momentos da criação do homem – Gênesis 1:28. Tríade cultivo-culto-cultura. O homem está integralmente sob o governo de Deus (Dez mandamentos). I Coríntios 10:31.​
  • Cristo se encarnou como modelo antropológico (João 1:14, Colossenses 1:15). Antropologia conformada à Cristo (Romanos 8:29).​

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

O Homem Da Reforma - Parte III (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Segunda, 04 Dezembro 2017 03:00

Antropologia “medieval”

Nominalismo:​

Guilherme de Ockham (1280-1349), monge franciscano britânico. ​

  • Não há nenhum ponto de contato entre natureza e Graça. Síntese impossível entre ambos. A religião será matéria de fé somente. ​

  • As leis naturais foram estabelecidas pela mente de Deus, inacessível à mente humana. Por isso, o homem será escravo de Deus por ter sua existência determinada pelas leis naturais, o que chamou de potestas absoluta.​    ​

Antropologia renascentista

  • Humanismo cristão: O homem, como coroa da criação, no centro de tudo. O renascimento do homem (retorno cultural – não religioso – à era clássica grega) frente ao domínio da religião. ​

  • A ciência e a religião são vistas pela perspectiva humana. Embora o homem se relacione com a religião, sua antropologia é completamente autônoma em relação a ela. A humanidade molda a religião, não o inverso.​

  • “A Renascença estava preocupada basicamente com um ‘renascimento’ da humanidade num sentido exclusivamente natural. (...) A raiz religiosa mais profunda do movimento renascentista foi a religião humanista da personalidade humana em sua liberdade (de qualquer fé que exigisse fidelidade) e em sua autonomia (ou seja, a pretensão de que a personalidade humana é uma lei para si mesma”. (DOOYEWEERD, 2015).​

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina." (Provérbios 1:7 - NVI*)

Não perca a próxima mensagem, no dia 08/12/2017!

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Túnel Do Tempo - Trabalho

Publicado: Quarta, 29 Novembro 2017 06:14

“Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar”. (Gênesis 2.15).

É importante e essensial refletirmos qual o papel do trabalho na vida de um Cristão.

O trabalho é mais que uma maneira de suprir sua necessidade, mais que um talento, uma obrigação. E bem longe de ser uma maldição, resultado do pecado do homem.

O trabalho é um mandamento de Deus, pois em gênesis, chama o homem a cultivar na Terra, tradução mais próxima do original, diria gerar cultura, praticar cultura. Sendo assim, o Senhor chama o homem pelo talento recebido, praticar a cultura.

Cultura é a atividade do homem na humanidade, ou seja, trabalhar, falar, relacionar, arte, tudo é cultura. Assim em todos os espaços sociais, devemos pratica-lo, fazendo para o Senhor. Como a música do Palavrantiga:

"Toda vez que procuro pra mim algo pra ler, ouvir, olhar e dizer, Senhor sabe o que eu quero. Não me furto a certeza: és a Vida que eu quero”.

Então trabalhar é uma maneira de emitir cultura nesta Terra, para que o trabalho, traga o Reino de Deus, o propósito de Deus, pelo talento lhe foi concedido. Fazendo com excelência o trabalho para que com seu testemunho traga luz do Reino Deus aos homens.

Por isso Deus colocou o trabalho, não para ser uma condenação mais uma maneira de glorifica-lo.

Ore: “Deus lhe agradeço por meu trabalho, peço todos os dias que revele meu propósito em meu trabalho, segundo os talentos que me deu, para poder glorifica-lo, nesta Terra, trazendo o seu reino em todos os espaços da minha vida. Em nome de Jesus”.

Igreja Da Reforma - Parte Final (500 Anos Reforma Protestante)

Publicado: Sexta, 24 Novembro 2017 19:18

Igreja Comunitária - Calvinismo

  • Calvino preconizava uma reforma integral da sociedade. As nações serão transformadas por meio da: ação da Igreja como instituição e de cristãos individuais, já que todos tem obrigação de refletir a glória de Deus em suas vidas​.
  • Igreja era responsável pela assistência social cuidando dos pobres, dos órfãos, das viúvas, dos doentes e de todos os necessitados, amparando e confortando os carentes e necessitados. ​
  • A Igreja também deveria solicitar das autoridades o estabelecimento de medidas necessárias para a manutenção da ordem e da justiça social. ​

Igreja Comunitária - Metodismo

  • No padrão Wesleyano a santificação não é limitada ao denominado mundo religioso e individual, mas, é um processo no qual os fiéis buscam a santificação ao mundo ao redor, para a reforma e a melhoria das condições sociais, nos ecos: “Levar santidade bíblica por toda a terra”​.
  • Envolvimento com os males: ​
  • Ajudar necessitados​
  • Escravidão​
  • Melhorias trabalhistas​
  • Educação para todos​
  • Fim do racismo​

Texto: Lucas Guimarães Vicente.

Pagina 1 de 57

sombra1

Copyright © 2011-2015 - Mensagem Diária logosg