Back to Top

Novo Logo Mensagem Diaria

Fundamentos da Oração - Parte 1

"1 Então Jesus propôs uma parábola aos seus discípulos, com a intenção de adverti-los quanto ao dever de orar continuamente e jamais desanimar. 2 E lhes contou: “Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus, tampouco era sensível às necessidades das pessoas. 3 E havia, naquela mesma cidade, uma viúva que freqüentemente se dirigia a ele, rogando-lhe: ‘Faze-me justiça na causa que pleiteio contra meu adversário!’. 4 Ele, por algum tempo, não a quis atender; todavia, mais tarde considerou consigo mesmo: ‘É bem verdade que eu não temo a Deus, nem respeito à pessoa alguma; 5 contudo, como esta viúva me importuna, farei justiça a ela, para não acontecer que, por fim, venha a me aborrecer ainda mais’”. (Lucas 18. 1 - 4 - KJA).

A parábola da viúva presente somente no livro de Lucas (18. 1 -8) nos indica três pontos sobre a oração. 1. qual é o sentido de orar sempre sem desanimar, 2. qual o sentido de justiça, constantemente repetido no texto, 3. qual a relação entre a imagem do juiz Iniquo e Deus.

Hoje, estaremos tratando do primeiro ponto, que retoma a ideia de oramos continuamente, sem desistir, contudo, com sentido e fé, uma vez que os judeus já oravam comumente três vezes ao dia. De manhã e à noite a Shemá; e todos os turnos, a dezoito bênçãos. Da mesma forma, os gentios, que oravam aos seus deuses pela manhã, pois acreditavam que refizessem os mesmos rituais, eles poderiam garantir sua ordem cósmica, seu bem-estar.

Então, qual sentido daquele período ele incentivar a oração constantemente?

Percebesse que a oração aqui apontada tem um sentido claro na vida pessoal, e não religioso. Por isso, a imagem da viúva, uma mulher normalmente desprovida de renda e de poder político. Sendo assim a causa garantiria sua vida, sua necessidade mais profunda, básica. Esta ideia e muito presente nos discursos de Jesus sobre oração. Como na Oração do Pai-Nosso, em relação a vontade do Pai e as necessidade básicas: pão, perdão, proteção (Mt. 6.9- 13). Também, no filho que pede o alimento (Lc. 11), no publicano que procura perdão (Lc. 18.13), no amigo que procura alimento para servir aos seus amigos (Lc. 11.5). 

Portanto, a oração deve ter sentido, de vida, de fé daquilo está no seu coração, e não apenas uma repetição religiosa, como no caso tanto dos judeus, como dos gentios. (Mt. 6.5 – 9). Por isso, a idea do artigo de adição, que relaciona orar sempre, sem desanimar. Pois quando a oração tem verdadeiramente um sentido, propósito, como no caso da viúva, ela nunca se cessará.

Texto: Lucas Vicente

Tradução: KJA - King James Atualizada.

Ação De Graças

“Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5.18, ARA).

O dia de Ação de Graças foi transformado pelo mundo numa BLACK FRIDAY.

Assim, como a Páscoa, em ovo de chocolate e coelho, e o Natal, em presentes e papai noel.

Nós também não podemos transformar a nossa Ação de Graças numa BLACK FRIDAY. Como assim? Todos estes feriados, associados ao cristianismo, foram transformados num comércio, num consumismo, baseados no deus deste mundo: o dinheiro.

Então, quando só agradecemos a Deus, quando Ele faz algo por nós, estamos fazendo a nossa relação com o Pai, se tornar num comércio, numa troca, e isto é pecado!

Portanto, o apóstolo Paulo diz anteriormente a Igreja de Tessalônica: ‘Para orarem sem cessar’ , em contínuo, estarem na presença de Deus, conectados com o Pai. E por estarmos sempre com Ele, em tudo, temos que agradecer a Deus, pois esta é a vontade Dele revelada em Jesus Cristo.

Se transformamos a Ação de Graças em apenas um dia, e apenas quando Deus faz o que queremos, transformamos nossa relação com o Pai em comércio.

Texto: Thiago Guimarães Vicente.

*ARA - Almeida Revista e Atualizada.

Estudo Mulheres Da Bíblia - Casamento É Unidade

“Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. ” (Mateus 18.19-20 - ARA*)

O acordo é uma porta aberta para a ação de Deus. 

Neste século constatamos a deterioração da família em todos os níveis, inclusive dentro da Igreja. Casais estão vivendo fora do propósito de Deus. Brigas constantes, falta de respeitomútuo,distância entre o casal, estas e outras atitudes são vistas em lares cristãos.  

Além da infelicidade, da frieza produzida nos seus corações, ainda há a questão do mau testemunho dado. O Reino de Deus tem como princípio a unidade este princípio não apenas produzirá felicidade, realização emocional como também liberará as bênçãos de Deus.

Jesus nos ensinou que a unidade e concordância permitem Deus agir em nossas vidas.

Por outro lado, a falta de unidade impede Deus de agir.

A Palavra de Deus mostra de modo bem claro que quando o marido “briga” com sua mulher, algo acontece também na dimensão espiritual:

“Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações. ” (1Pe. 3.7.) 

Ao deixar de honrar a mulher, no grego a palavra honra significa dar valor, e maltratá-la (ainda que só verbalmente), o marido está quebrando esta unidade. A Bíblia diz que as orações serão impedidasClaro que também vale para a mulher.

As orações são impedidas, pois um princípio do reino de Deus foi violado. 
 
Quando o casal se torna um e fala uma só língua (sem discordância) eles removem os limites diante de si! Deus pode agir livremente num ambiente destes mas basta perder a capacidade de falar a mesmalíngua que tudo se perde! No Reino de Deus, quando dois se unem, o efeito não é de soma, mas de multiplicação. 

Como está seu relacionamento conjugal?

Está multiplicando no amor, no perdão, na renúncia, na fidelidade ou crescendo em murmuração, brigas, discórdias...?

"Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. 10 porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. 11 também se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um  como se aquentará? 12 E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa". (Eclesiastes 4.9-12 - ARA*)

"Senhor ensina-nos a ser um assim como Tu és com o Pai afim que todos vejam e saibam que A Sua Presença é real no nosso casamento. Oro no nome de Jesus".

Texto: Mônica Guimarães Vicente.

*ARA - Almeida Revista e Atualizada.

A Vida Diária nos Tempos de Jesus

Jesus viveu a maior parte de sua vida em Nazaré, já que tinha voltado do Egito por volta de 6 a 9 anos. Já que não sabemos ao certo qual foi a data da Morte de Herodes o Grande, se foi no ano 1 d.C. ou no ano 4 d.C. Sendo assim Jesus viveu cerca de 24 a 21 anos na cidade de Nazaré na Galileia. A região da galileia segundo o Arqueólogo Horsely havia em torno de mais ou menos 200 aldeias de em média 300 habitantes, diferindo dos escritos de Josefo que demonstrava que havia 238 cidades. Nesta região haviam duas grandes cidade Tiberíades e Séforis, a primeira construída por Antipas e a segunda reconstruída com toda glória que uma cidade romana poderia ter. E mais três ou quatro pequenas cidades, como Cafarnaum.

Leia mais aqui

Estudo das Mulheres da Bíblia

Vamos comparar em um relacionamento marido e mulher. Quanto mais o casal se conhece, mais vai tendo intimidade, sabe como agradar ao parceiro. E na vida com Deus como funciona? Digamos que da mesma forma. Quanto mais nos esforçamos para conhecê-lo mais intimidade com Deus teremos e saberemos qual a sua vontade, o que lhe agrada e o que lhe entristece.

Porém precisamos nos esforçar para conhecer a Deus para avançarmos em nosso relacionamento com ele. Muitas vezes reclamos que não ouvimos a sua voz mas nem sequer paramos para conversar com Deus, ou ás vezes só falamos e falamos e não paramos para ouvir o que ele tem a dizer.

Leia mais aqui

 
 

sombra1

Copyright © 2011-2015 - Mensagem Diária logosg