‘Por que jejuamos’, dizem, ‘e não o viste? Por que nos humilhamos, e não reparaste?’ Contudo, no dia do seu jejum vocês fazem o que é do agrado de vocês, e exploram os seus empregados. Seu jejum termina em discussão e rixa, e em brigas de socos brutais. Vocês não podem jejuar como fazem hoje e esperar que a sua voz seja ouvida no alto. Será esse o jejum que escolhi, que apenas um dia o homem se humilhe, incline a cabeça como o junco e se deite sobre pano de saco e cinzas? É isso que vocês chamam jejum, um dia aceitável ao Senhor? "O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo? Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura; a sua retidão irá adiante de você, e a glória do Senhor estará na sua retaguarda. (Isaías 58:3-8- NVI*) 

O cenário deste texto fala de uma troca entre os israelitas e Deus. O povo havia jejuado sem obter uma resposta de Deus.

O Senhor responde, estavam jejuando pelos motivos errados, tinham atitudes que necessitavam de mudanças.

O jejum tem por objetivo quebrar o poder da carne, fisicamente, se abstendo parcial ou totalmente de refeições, e espiritualmente se consagrando a Deus.

O que adianta se abster de alimentos sem um tempo especial de consagração, leitura e meditação da palavra? O que adianta jejuar se envolvendo em brigas e contendas? O que adianta jejuar falando mal do próximo? O que adianta jejuar colocando os olhos em coisas más? Redes sociais?

O jejum é um tempo especial de oração, de buscar a presença de Deus com seriedade e temor, sacrifício agradável a Deus.

Deus responde que o verdadeiro jejum provocará a cura, retidão, a mudança e assim a Glória Dele estará na retaguarda, guardando e protegendo de todo mal.

Senhor, ajuda-me a jejuar e orar com regularidade. Mostra-me com que frequência e por quanto tempo, e dá-me a força por cada período de jejum. Que as minhas palavras, atitudes e ações sejam consagradas a Ti. Quero negar minha carne de modo que possa te exaltar. Oro no nome de Jesus. 

Texto: Mônica Guimarães Vicente.

*Tradução: Nova Tradução Internacional.