Back to Top

Novo Logo Mensagem Diaria

Sinergia E O Espírito Santo (John Wesley - Metodismo)

 

A redenção para Wesley é para todos, insistia em oposição aos calvinistas, que entendiam que a obra de salvação de Cristo aplicava-se apenas aos eleitos, que viam a obra de salvação de Cristo aplicada apenas aos eleitos. Uma contradição ao agir de Cristo, pois observamos que derrama abundantemente seu amor sofredor até mesmos sobre os que o rejeitam. Eles são objetos do seu cuidado tanto quanto os que respondem (Mt 5.45, Lc. 6.35, Ez. 18.13, 33.11).

Mas o ponto essencial desse drama cósmico é a reconciliação de todas as coisas no céu, sobre a Terra e debaixo dela, de modo “que Deus seja tudo em todos” (I Co 15.28). Devido a isso, o Espírito Santo tem a importância decisiva para que os objetivos de redenção da humanidade possam ser alcançados[1].

O Processo de redenção se situa quando a graça preveniente age por toda Terra, comunicada pelo Espírito Santo, mas como diz nas escrituras, quem crer Ele fará morada. (João 14.23). Assim, a confiança que marca nossa resposta de fé é crida em nossos corações pela ação prévia de Deus. Pois sua ação prévia de misericórdia e amor nos inspira a nossa confiança, nos leva a redenção. Por isso, testifica com nosso espírito “que somos filhos de Deus” (Rm 8.16)[2]. Desta forma Wesley considera:

“Porque é filho, Deus enviou o Espírito de seu Filho a seu coração, clamando: Abba, Pai”; dando-lhe certeza de que ele é filho e uma confiança filial nele. Observe-se, porém, que, pela própria natureza das coisas, a certeza vai adiante da confiança. Porque o homem não pode ter confiança final em Deus enquanto não se reconhece como filho de Deus. Portanto, a confiança, crença, segurança, adesão, ou qualquer que seja o nome por que se chame, não é o primeiro, como supõem alguns, mas o segundo ramo ou ato de fé[3].

Portanto, para que nossas obras sejas boas, elas precisam resultar dessa colaboração na qual Deus é um parceiro e, pelo espírito, coprodutor das obras. Possibilitadas pela divina iniciativa de renovar essa imagem, a justificação e a regeneração (novo nascimento) que restauram o relacionamento, e a santificação o aperfeiçoa[4]. Como observamos este movimento de Sinergia, entre Deus, comunicado mediante nosso espírito e o nosso respondendo crendo e nos regenerando, nos escritos de Pedro e Paulo:

“arraigados e edificados nele (Espírito Santo), e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, abundando em ação de graças”. (Col. 2.7). “vós também, quais pedras vivas, sois edificados (pelo Espírito) como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo” (I Pedro 2.15).

No entanto, isso não significa que é a nossa própria fé ou nossa decisão que nos justifica, como já diz o Apóstolo Paulo, “isto não vem de vocês, é dom de Deus” (Ef. 2.9). Porque o ato prévio vem de Deus, e não de nós (Col 1.13, Ef. 2.3-5, Ts.3.5) Onde de fato, pela ação do Espírito Santo, nos inspira a crer e iniciar o processo de regeneração e santificação[5]. Por isso Wesley esclarece este fato no seu sermão “Senhor nossa justiça”:

“A Justiça de Cristo é fundamento total e único de toda nossa esperança. É, pela fé que o Espírito Santo habilita-nos a construir sobre tal fundamento. Deus da essa fé: nesse momento somos aceitos por Deus e, ainda assim, não em razão daquela fé. Mas em atenção ao que Cristo fez e sofreu por nós[6].

E também podemos ver com perfeição, a relação de sinergia, mediante a ação de Deus conosco, nossa aceitação pela fé, e nossa transformação em Cristo, tendo nossa mente aberta para nova razão do Reino, podemos ser regenerados no seu poder, na perspectiva observada, presente na oração de Paulo a carta aos Efésios:

“17 que Cristo habite pela fé nos vossos corações, a fim de que, estando arraigados e fundados em amor. 18 possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, 19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios até a inteira plenitude de Deus 20 Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” (Ef. 3.17 – 20).

Texto: Lucas Guimarães Vicente. 

[1] RUYNAN, Theodore. op. cit. p. 72.

[2] Esta percepção de Wesley foi possível pelo estudo da “co-inerência” (perichoresis) entre a humanidade e Deus, presente na teologia dos Padres do Oriente, conseguido sair o controverso dilema entre Agostinho e Pelágio. Demonstrando a importância do Estudo da tradição cristã, para entender conceitos teológicos. 

[3] Sermão 43. O meio bíblico da Salvação. Sermões 2:350.

[4] RUYNAN, Theodore. op. cit. p. 75.

[5] Idem, p.76.

[6] Sermão 20. Senhor nossa justiça. Sermões, 1:415.

Vulnerabilidade Da Mulher Negra - Parte I

A construção de uma cultura nos dias atuais é bastante pertinente, pois lutamos diariamente dramas em nossa sociedade. Em que situações podemos enxergar estes dramas transformando-se em vulnerabilidade?

Recorremos a mídia social e apresentamos abaixo uma notícia que nos aponta um episódio de dor e constrangimento, o título da reportagem é “Ipea revela que vulnerabilidade é maior para mulher negra”:

Atlas permite recorte que analisa os indicadores sociais, de acordo com as variáveis de gênero, cor e domicílio. Os mais vulneráveis entre os vulneráveis. O estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) permite um recorte que analisa os indicadores sociais, de acordo com as variáveis de gênero, cor e domicílio. A constatação é que a desigualdade e exclusão no Brasil atinge, de forma mais contundente, os seguintes segmentos: as mulheres, as mulheres negras e, mais ainda, as mulheres negras que vivem na área rural. (SISTEMA JORNAL DO COMMERCIO DE COMUNICAÇÃO, 2017)

Notamos através desta notícia que vivemos uma exclusão da mulher negra em nossa sociedade, apesar de tantas lutas contra essa segregação, ela continua latente entre nós. O Jornal aponta uma pesquisa que analisa que existem forças do sexicismo, do racismo e do classismo, apontando-os em primeiro lugar para a exclusão e desigualdade com as mulheres, segundo para as mulheres negras e terceiro as mulheres negras que estão na área rural.

A parte II desta mensagem será no dia 25/09.

Texto: Vivian Cristina Thomazinho Vicente.

Referência: Sistema Jornal do Commercio de Comunicação. Disponível em: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/noticia/2017/08/24/ipea-revela-que-vulnerabilidade-e-maior-para-mulher-negra-303073.php . Publicado em 24/08/2017.

Estudo Das Mulheres: Violência Doméstica - Mulher, Você Tem Valor!

"O SENHOR é também alto refúgio para o oprimido, refúgio nas horas de tribulação. Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome, porque tu, SENHOR, não desamparas os que te buscam" (Salmo 9:9-10). 

A violência doméstica hoje é fato na sociedade, não só daquelas pessoas que desconhecem a Deus, como também no meio cristão. 

Deus criou a família para ser um lugar de amor, de segurança. A violência doméstica destrói esta benção de Deus. Onde há violência doméstica há quebra desta aliança de Deus. 

A violência acontece quando você é maltratada tanto fisicamente como psicologicamente pelo seu marido ou muitas vezes pelos filhos. É comum seu agressor manipular de certo modo onde ele transfere a culpa para você. Não existe culpa! Ninguém tem o direito de ser violento com outra pessoa. 

Informações recentes dizem que o Brasil lidera o ranking mundial de violência contra a mulher. De acordo com uma pesquisa feita pela Sociedade de Vitimologia Internacional, 25% das mulheres brasileiras sofrem violência, e 70% das mulheres assassinadas foram vítimas dos próprios maridos. Os dados revelam também que, em média, a mulher só denuncia a violência depois da décima agressão. A igreja deve levantar-se como voz profética para denunciar a violência na sociedade, principalmente, aquelas que acontecem no meio do povo de Deus, em que maridos violentos, trajados de cristãos, com ataques de fúria e acostumados a praticar esse delito, continuam agredindo suas esposas. (EBD.2013) 

A delegada evangélica Márcia Noeli Barreto, que atua na “Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher” (DPAM) do Rio de Janeiro, defende que a lei seja o melhor caminho. “Penso que o papel dos pastores é de orientação nos relacionamentos. Isso não quer dizer que a orientação seja dizer à irmã em Cristo que ela deve orar e que tudo vai passar ou que se ela está sofrendo a violência é porque Deus permitiu. Creio que Ele não está em um lar com violência. Portanto, devemos sempre orar, mas tomar uma atitude de buscar ajuda, indo à Delegacia de Polícia e registrando o fato como crime”, orienta a delegada. (GOSPEL,2011). 

Mulher você tem valor!  

A Igreja de Cristo considera muito seriamente a questão da violência familiar, e por ter tal pensamento deve agir para proteger a esposa e ao mesmo tempo, a auxilia espiritualmente. Quanto ao marido responsabiliza-lo pelo seu crime respondendo pelos seus atos a justiça. 

Texto: Mônica Guimarães Vicente.

Fontes: Marcadores: Editora Betel, ORIENTAÇÕES BÍBLICAS CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA,Revista EBD 

Mulheres cristãs vítimas de violência doméstica 

https://noticias.gospelmais.com.br › Destaque 

A Vida Diária nos Tempos de Jesus

Jesus viveu a maior parte de sua vida em Nazaré, já que tinha voltado do Egito por volta de 6 a 9 anos. Já que não sabemos ao certo qual foi a data da Morte de Herodes o Grande, se foi no ano 1 d.C. ou no ano 4 d.C. Sendo assim Jesus viveu cerca de 24 a 21 anos na cidade de Nazaré na Galileia. A região da galileia segundo o Arqueólogo Horsely havia em torno de mais ou menos 200 aldeias de em média 300 habitantes, diferindo dos escritos de Josefo que demonstrava que havia 238 cidades. Nesta região haviam duas grandes cidade Tiberíades e Séforis, a primeira construída por Antipas e a segunda reconstruída com toda glória que uma cidade romana poderia ter. E mais três ou quatro pequenas cidades, como Cafarnaum.

Leia mais aqui

Estudo das Mulheres da Bíblia

Vamos comparar em um relacionamento marido e mulher. Quanto mais o casal se conhece, mais vai tendo intimidade, sabe como agradar ao parceiro. E na vida com Deus como funciona? Digamos que da mesma forma. Quanto mais nos esforçamos para conhecê-lo mais intimidade com Deus teremos e saberemos qual a sua vontade, o que lhe agrada e o que lhe entristece.

Porém precisamos nos esforçar para conhecer a Deus para avançarmos em nosso relacionamento com ele. Muitas vezes reclamos que não ouvimos a sua voz mas nem sequer paramos para conversar com Deus, ou ás vezes só falamos e falamos e não paramos para ouvir o que ele tem a dizer.

Leia mais aqui

 
 

sombra1

Copyright © 2011-2015 - Mensagem Diária logosg